Tamanho do texto

Volante firmou-se como titular na equipe treinada por Muricy Ramalho e ganhou convocação para a seleção brasileira

Souza corre para festejar o gol do São Paulo no clássico contra o Corinthians
Luís Moura/Gazeta Press
Souza corre para festejar o gol do São Paulo no clássico contra o Corinthians

O bom momento vivido pelo volante Souza nesta temporada, que lhe rendeu - além da titularidade na equipe do São Paulo - sua primeira convocação para a seleção brasileira, é creditado aos companheiros de equipe e ao ambiente do Tricolor, que melhorou e muito a partir da volta de Muricy Ramalho e da chegada de reforços.

Além da presença de um treinador experiente no banco de reservas, Souza admite que, em termos de aprendizado, a presença de Kaká ajudou bastante o elenco a ter motivação para buscar um melhor futebol. "A idade chega para todo mundo, não é nenhum demérito para ele, é um jogador que já foi melhor do mundo. Sabemos que ele não vive a melhor fase da carreira, mas contribui muito para o time, abrindo espaço e tocando a bola. No dia a dia dos treinos ele trabalha como um garoto, treina com muita intensidade e isso nos motiva ainda mais", falou o camisa 5 em entrevista ao canal SporTV , nesta terça.

Santos vende mando de campo do clássico contra o São Paulo para Cuiabá

Sobre a experiência de ter vestido a camisa da seleção, participando do processo de renovação proposto por Dunga após a vexatória goleada - e consequente eliminação - sofrida para a Alemanha no Mundial do Brasil, o jogador elogiou o ambiente e afirmou que "não ouviu falar sobre o 7 a 1".

"O Dunga veio para renovar com tudo, até mesmo a mentalidade dos jogadores, já pensando em 2018. (A goleada) dói mais naqueles que jogaram, eu não estava, mas no dia-a-dia eles têm superado isso. O ambiente é muito bom, existe a brincadeira, mas os treinamentos são em um ritmo muito sério porque cada um está querendo se afirmar nesta nova fase", comentou.

Melhor que Cruzeiro nos últimos 7 jogos, São Paulo pode chegar se mantiver ritmo

Contratado por empréstimo junto ao Grêmio, o atleta teve os direitos econômicos comprados pelo clube do Morumbi na última semana e o vínculo prolongado até dezembro de 2017. Desde que chegou ao São Paulo, no início do ano, o volante manifestou a vontade de continuar no clube e ‘dar um passo a mais na carreira’.

"Ninguém vem para um clube para jogar o Brasileiro e voltar. Vim com o pensamento de ficar desde o início, mas sou muito grato ao Grêmio, que foi o clube que me abriu as portas para voltar ao Brasil. Eu queria evoluir na minha carreira e achei que vindo para o São Paulo isso poderia acontecer", comentou.

A responsabilidade pela evolução no futebol do meio-campista, fato que o levou a seleção, é compartilhada com todo o elenco e Souza disse saber se aproveitar da presença de tantas ‘estrelas’ para encontrar espaço e obter destaque. "É natural que em uma equipe que tem Kaká, Ganso, Luis Fabiano e Kardec, os adversários vão se preocupar muito mais com esses jogadores. Então, quando vamos à frente como elemento surpresa, sempre temos mais liberdade para arriscar ao gol", avaliou. "O conjunto melhorou e essa estrutura faz bem ao time", prosseguiu.

Apesar de não aprovar a decisão da CBF em não convocar jogadores brasileiros para os amistosos contra Turquia e Áustria, que acontecerão no próximo mês, Souza admitiu que a medida foi tomada com bom senso. "Como jogador, não achei boa não. Mas acho que foi bom senso, eles pensaram na fase final do nacional. Infelizmente não temos um calendário como o do futebol europeu, e eles tiveram que fazer isso para não desfalcar as equipes na reta final, já que haviam muitos jogadores da última convocação atuam no Brasil", avaliou.

Treino desta terça

Um dia depois de derrotar o Goiás, o elenco do São Paulo se reapresentou com novidades na tarde desta terça-feira, no CT da Barra Funda. A principal delas foi Kaká, recuperado de mialgia na panturrilha esquerda e que se juntou aos atletas reservas em trabalhos com bola.

Afora as dores musculares, outro motivo que já tiraria o meia de combate no meio de semana era a suspensão por terceiro cartão amarelo, mesmo caso de Rafael Toloi. Já Paulo Miranda não atuou por ter sido expulso na rodada passada. Os zagueiros também foram a campo na reapresentação da equipe.

Exceto os titulares de linha, a única ausência entre os que não enfrentaram o Goiás foi Alexandre Pato. O atacante se recupera de edema na coxa esquerda e é desfalque para o duelo com o Emelec, na quinta-feira, pelas quartas de final da Copa Sul-americana, no Morumbi.

Estivesse em campo na tarde desta terça-feira, ele teria participado de trabalho com bola em espaço reduzido e, em seguida, de ensaio de finalizações comandado por Muricy Ramalho.

Além dele, o treinador são-paulino terá outras duas baixas diante do Emelec. O volante Denilson foi expulso no jogo de volta das oitavas de final, ao passo que o atacante Luis Fabiano ainda tem dois jogos de gancho da Conmebol a cumprir no torneio continental.

* Com Gazeta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.