Tamanho do texto

Treinador diz que não conseguiu entender derrota frente ao América-RN e que time terá que provar diante da Ponte Preta que o revés foi apenas "acidente de percurso"

O técnico Joel Santana não consegue esconder o constrangimento com a má atuação do Vasco  em Natal, onde o time foi derrotado pelo América-RN e se afastou da liderança do Campeonato Brasileiro Série B. No retorno da delegação, na manhã desta quarta-feira, o treinador voltou a definir o rendimento Cruz-maltino como assustador. Joel chegou a se confessar envergonhado por considerar que a equipe realizou a pior exibição sob o seu comando.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias da Série B do Brasileiro

"Não sei o que aconteceu, até agora estou querendo entender. O time foi o mesmo que ganhou sem sustos do Joinville em casa em uma de nossas melhores partidas na competição. Precisamos fazer uma boa partida sábado, contra a Ponte Preta, para mostrar à torcida que o jogo de Natal foi um acidente de percurso, não mais que isso. Ainda estou envergonhado", admitiu o treinador.

Leia mais: Por unanimidade, Dinamite permanece na presidência do Vasco até eleição

Depois de duas derrotas seguidas no Nordeste, contra Santa Cruz e América-RN, o Vasco precisa voltar a somar pontos para não correr o risco de se afastar da liderança. Joel acha que a situação ainda não é preocupante e na entrevista coletiva, concedida ainda no aeroporto, o técnico lembrou que a equipe ainda vai disputar quatro partidas em São Januário e que isso pode contribuir para que o Vasco siga nas primeiras posições.

"Ganhar o título ou subir como terceiro ou quarto colocado vale a mesma coisa para nós. Os matemáticos dizem que uma equipe se classifica quando chegar aos 65 pontos. Faltam 11 para que nosso objetivo principal seja alcançado. Ainda temos mais quatro jogos em casa. Se vencermos todos, subimos com tranquilidade. Só não podemos deixar de fazer o dever de casa para evitar complicações", falou Joel à Rádio Brasil .

Joel Santana explicou que só vai pensar no substituto do meia Douglas, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, a partir desta quinta-feira, quando os jogadores voltam aos treinamentos, no campo do CFZ, iniciando a preparação para o jogo diante da Ponte Preta. Com a irreverência característica, o treinador explicou o que pensa sobre a alteração.

"Tem muita gente para colocar no lugar do Douglas. Tenho Maxi, Montoya... Futebol não é formado só por 11. Se eu não tiver confiança para colocar um jogador, o que ele está fazendo no Vasco? Quero só um tempo para pensar, mas já saberei mais ou menos quem eu vou botar no time a partir de amanhã", despistou o técnico.

Joel ainda pode ficar sem o volante Pedro Ken. O jogador desembarcou com uma tipoia no braço esquerdo, por conta de um choque ocorrido no jogo em Natal que o fez sair de campo mais cedo, e será avaliado pelo departamento médico nesta quinta-feira. A tendência é que o volante Fabrício, que não enfrentou o time potiguar por cumprir suspensão pelo terceiro amarelo, fique com a vaga entre os onze iniciais.

O comandante também falou acerca das declarações do atacante Kleber que, em entrevista à Rádio Globo , logo depois da partida, reclamou das constantes alterações na equipe e sobre a indefinição do sistema. Para o Gladiador, o Vasco ainda não tem um time definido, pois muda de esquema a cada partida.

Ao se justificar, o treinador lembrou que vem enfrentando muitos problemas para escalar a equipe, já que nem sempre tem o elenco completo por conta de lesões e suspensões. Além disso, também falou dos desfalques motivados pelas convocações, como no caso de Thalles, que vem sendo chamado com frequência para a Seleção Brasileira Sub-21.

"Eu bem que gostaria de repetir o time em todos os jogos. Infelizmente, isso não é possível. É muita suspensão, contusão, e você precisa ter peças de reposição porque as mudanças são constantes. Alguns entram bem, outros não são muito felizes, como aconteceu com as mudanças que fizemos diante do América-RN", contemporizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.