Tamanho do texto

Clube espanhol disse inicialmente que o atacante brasileiro custou R$ 171 milhões. Mais tarde, mudou o discurso e informou que a transferência foi de cerca de R$ 300 milhões

Reuters

Jordi Cases, sócio do Barcelona que deu início a um escândalo ao acusar o ex-presidente do clube Sandro Rosell de evasão fiscal na contratação de Neymar, retirou a ação depois de expressar satisfação com as informações recebidas no caso.

Leia mais: Neymar assombra a Europa e supera Romário, Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho

Cases entrou com a ação após o clube não entregar as informações solicitadas sobre a contratação do atacante brasileiro. O Barça havia dito que Neymar custou 57,1 milhões de euros (R$ 171 milhões) quando deixou o Santos no ano passado.

Veja também: Neymar diz que joga no Barça como na seleção e minimiza problemas jurídicos

Mas, no início deste ano, o clube informou que a transferência foi de cerca de 100 milhões de euros (R$ 300 milhões), após o pagamento de 17,1 milhões de euros ao Santos e 40 milhões à empresa do pai de Neymar como "taxa de compensação".

Classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Espanhol

Neymar assina o contrato ao lado do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell
Miguel Ruiz/Barcelona
Neymar assina o contrato ao lado do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell


Rosell renunciou em janeiro, depois que um tribunal espanhol decidiu examinar a transferência do brasileiro para o Barcelona.

Cases "expressou em uma carta ao presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, que está satisfeito com as informações obtidas por meio de ação judicial sobre a contratação do jogador Neymar da Silva Santos Jr. e outros contratos de serviços relacionados com a transferência", disse o clube em comunicado em seu site.

"Cases explicou que... pôde constatar a justificação plena de todos os valores comprometidos, estimando ausência de delito na contratação do jogador", acrescentou o Barça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.