Tamanho do texto

Equipe de Campinas chegou a 60 pontos e abriu 10 para o quinto colocado. Avaí se mantém no G-4 graças ao Icasa

Na noite desta terça-feira, a Ponte Preta venceu o Avaí por 3 a 1, no Moisés Lucarelli, e conquistou, além de importantes três pontos para se consolidar na liderança, seu décimo jogo de invencibilidade. Expulso no decorrer da partida, o técnico Geninho assistiu, da arquibancada visitante, aos seus comandados serem pouco perigosos e acabarem dominados pela Ponte Preta. Os donos da casa abriram o placar com Cafu, e os catarinenses empataram com Pablo. Renta Cajá virou, e Bryan sacramentou o triunfo pontepretano.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Com o resultado, a Ponte Preta permaneceu na primeira colocação, agora com 60 pontos. O Avaí, por sua vez, continua como quarto colocado, com 52 pontos. O Ceará, quinto colocado, ficou com 50 depois de perder por 2 a 1 para o Icasa.

Na próxima sexta-feira, o Avaí recebe o Joinville na Ressacada, às 19h30 (de Brasília). A Ponte Preta, por sua vez, visita o Vasco no Maracanã, às 16h20 (de Brasília).

Ponte Preta domina, abre o placar, mas cede empate no fim do primeiro tempo

A Ponte Preta foi quem primeiro levou perigo. Aos sete minutos, Alexandro arriscou chute de voleio, mas a bola saiu à esquerda da meta de Vagner. Logo depois, Cafu tocou para Rodinei, que cruzou de primeira para a defesa do goleiro. Cajá ficou com a sobra e chutou de canhota para a linha de fundo.

A Ponte Preta continuou pressionando. Aos 14, Cajá cruzou na segunda trave, a bola quicou na frente de Cafu, que bateu de primeira carimbando o travessão e perdendo uma ótima chance de abrir o placar.

Porém, Cafu ainda teve uma segunda chance aos 15 minutos e, desta vez, aproveitou. Após bola enfiada de Cajá, o camisa 7 dominou com a perna direita e finalizou, de esquerda, na saída de Vagner para balançar as redes em Campinas.Os donos da casa tiveram um gol invalidado com 20 jogados. Rodinei cruzou na área, e Vagner pulou para ficar com a bola. Entretanto, o goleiro trombou com um zagueiro e a deixou escapar. Alexandre, livre, empurrou para o fundo da meta e saiu para comemorar, mas o tento acabou invalidado por uma suposta falta de ataque.

O Avaí conseguiu chegar ao empate apenas aos 46 minutos. Marquinhos colocou bola na segunda trave, e Pablo subiu mais alto para cabecear no canto esquerdo de Roberto, que pulou, mas não alcançou.

Ponte marca dois gols consecutivos e mata o jogo logo no início da segunda etapa

A Ponte voltou do intervalo disposta a virar o jogo. Aos três minutos, Cafu ganhou de Carleto no lado direito e cruzou na cabeça de Renato Cajá, que aproveitou a indecisão de Vagner para balançar as redes.

O Avaí sequer teve tempo de reagir. Aos quatro, Bryan arriscou de longe e acertou o ângulo esquerdo da meta do Avaí. O goleiro saiu mal e não alcançou a bola, que foi para o fundo do gol do Avaí.

A Ponte Preta estava embalada. Com 14 minutos jogados no segundo tempo, Fernando Bob lançou Cafu, que avançou e finalizou para Vagner espalmar.

O Avaí teve sua primeira boa chance na etapa complementar apenas aos 30. Anderson Lopes recebeu bom passe pelo alto, esperou o quique da bola e chutou de perna esquerda por cima da meta de Roberto.

A Ponte Preta teve oportunidade de ampliar aos 35 minutos. Bryan, Roni e Alexandro fizeram boa jogada, e a bola chegou a Adrianinho. O meia arriscou de canhota, mas mandou à esquerda do gol de Vagner para selar o placar no Moisés Lucarelli.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 3 X 1 AVAÍ

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 21 de outubro de 2014, terça-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Jesmar Benedito Miranda de Paula e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)
Cartões amarelos: Eduardo Neto (Avaí), Bruno Mendes (Avaí), Thiago Carleto (Avaí), Pablo (Avaí), Diego Jardel (Avaí)
Gols:
PONTE PRETA: Cafu, aos 15min do 1º tempo, Renato Cajá, aos 3min do 2º tempo, Bryan, aios 4min do 2º tempo
AVAÍ: Pablo, aos 46min do 1º tempo

PONTE PRETA: Roberto; Rodnei, Gilvan, Tiago Alves e Bryan; Juninho, Fernando Bob e Renato Cajá (Adrianinho); Jonathan Cafu (Adilson Goiano), Alexandro e Rafael Costa (Roni)
Técnico: Guto Ferreira

AVAÍ: Vagner; Marrone, Pablo, Bruno Maia e Thiago Carleto; Eduardo Costa, João Filipe (Diego Jardel), Eduardo Neto (Diego Felipe) e Marquinhos; Anderson Lopes e Bruno Mendes (Willen)
Técnico: Geninho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.