Tamanho do texto

Depois de sair na frente em Salvador, time mineiro cedeu o empate no final do jogo e desperdiçou chance de assumir a vice-liderança provisória do Brasileirão

Atlético-MG e Bahia abriram a rodada do Campeonato Brasileiro com um jogo muito movimentado, nesta terça-feira, na Fonte Nova, em Salvador. As duas equipes procuraram o gol durante todo o tempo, mas o placar trabalhou pouco: empate em 1 a 1, que faz os mineiros subirem mais uma posição e não tirou os baianos da zona de rebaixamento.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

O primeiro gol do jogo foi anotado pelo atacante Luan, em bela cabeçada, mas Guilherme Santos deixou tudo igual no segundo tempo. Com o resultado, a representação mineira chega aos 51 pontos, ultrapassa o Internacional e assume a terceira posição do Brasileirão, mas vai precisar torcer por tropeço do Colorado, que ainda joga na rodada, para manter a posição. Já os soteropolitanos vão aos 31 pontos e seguem lutando contra o rebaixamento.

Atlético-MG e Bahia ficaram no empate por 1 a 1 na Arena Fonte Nova, em Salvador
EDSON RUIZ/COOFIAV/Gazeta Press
Atlético-MG e Bahia ficaram no empate por 1 a 1 na Arena Fonte Nova, em Salvador

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG terá compromisso em casa, jogando contra o Sport, sábado, no Independência. Já o Bahia, continua na briga para escapar da degola e vai visitar o Internacional, no Beira Rio. Partida confirmada para o próximo sábado.

O jogo – O Atlético-MG iniciou a partida trocando passes com tranquilidade, mas em um erro de Dátolo, o Bahia acabou criando a primeira chance de marcar, porém, Bruno Paulista falhou na conclusão e mandou sobre o travessão de Victor. Após a jogada, o Galo resolveu acelerar o ritmo da partida.

Inversões de jogadas entre os lados do campo e muita movimentação de Tardelli e Luan confundiram a marcação do time baiano. Com isso, o Atlético-MG passou a ter as rédeas do confronto, com Dátolo e Guilherme tendo opções para armar as jogadas ofensivas. Em contrapartida, o Bahia se mostrou perigoso nos contra-ataques.

Aos nove minutos, Guilherme fez lançamento de cinema para Luan, que tentou um toque por cobertura, com a bola passando muito perto da trave de Marcelo Lomba. Logo após o lance, Guilherme sentiu dores musculares, forçando Levir Culpi a queimar a primeira substituição colocando Maicosuel no jogo.

A saída de Guilherme fez o Atlético-MG perder em qualidade técnica, mas os mineiros seguiram atuando bem, porém, o Bahia também cresceu, produzindo um bom confronto na Fonte Nova. Aos 18, Tardelli fez jogada individual, limpou a marcação e concluiu com a canhota, errando o alvo, mas levantando o torcedor alvinegro em Salvador.

Apesar de jogar bem, os visitantes apresentaram algumas panes defensivas que geraram oportunidades de gol para o Bahia. Aos 23, Marcos Rocha e Edcarlos bateram cabeça e Diego Macedo saiu na cara de Victor, que antecipou a jogada e salvou os mineiros. O Galo respondeu na sequência com finalização perigosa de Carlos.

Desde a época de Cuca, os jogadores do Atlético-MG costumam fazer com eficiência a famosa linha de impedimento, mas diante do Bahia, a defesa vacilou em alguns momentos, contando com a sorte para não levar gols. De maneira geral, os atleticanos se saíram melhor atacando que defendo no jogo desta terça-feira.

Na volta para o segundo tempo, os alvinegros marcaram presença no campo ofensivo por mais tempo. O time de Levir Culpi, porém, encontrou dificuldades para furar o bloqueio baiano, finalizando pouco contra a meta de Marcelo Lomba. Aos oito minutos, porém, brilhou a estrela de Luan, que aproveitou cruzamento perfeito de Douglas Santos e cabeceou sem chances para o goleiro baiano, abrindo o placar na Fonte Nova.

Com o gol, o Bahia teve que se abrir mais, o que permitiu o Atlético-MG ter mais espaços para trabalhar a bola. O time de Levir, porém, diminuiu um pouco o ritmo, fazendo a partida ficar cada vez mais perigosa para os atleticanos, que acabaram sendo pressionados pelo Tricolor, e chegando nos contra-ataques, como na jogada de Dátolo, que parou nas luvas de Lomba, que evitou a dilatação do marcador.

Percebendo que ficar na retranca não era uma boa estratégia, o treinador atleticano pediu que seus comandados adiantassem a marcação, postura que fez o Galo voltar a crescer na partida. Aos 40, o castigo veio em uma bola esticada, que caiu nos pés de Guilherme Santos, que tocou na saída de Victor empatando o jogo e dando números finais ao jogo.

FICHA TÉCNICA - BAHIA 1 X 1 ATLÉTICO-MG

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 21 de outubro de 2014, terça-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Márcio Luiz Augusto (SP) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Pará e Guilherme Santos (Bahia); Josué, Edcarlos e Luan (Atlético-MG)
Cartões vermelhos: Guilherme Santos (Bahia); Diego Tardelli (Atlético-MG)

GOLS
BAHIA: Guilherme Santos, aos 40 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-MG: Luan, aos oito minutos do segundo tempo

BAHIA: Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Pará (William Barbio); Uelliton, Bruno Paulista, Diego Macedo (Lincoln) e Guilherme Santos; Marcos Aurélio (Potita) e Henrique
Técnico: Gilson Kleina

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Jemerson, Edcarlos e Douglas Santos; Josué, Dátolo (Cesinha) e Guilherme (Maicosuel); Luan (Pierre); Carlos e Diego Tardelli
Técnico: Levir Culpi

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.