Tamanho do texto

"Senti que tinha arruinado minha carreira. A princípio, não queria saber de nada nem ninguém. Me fechei com a família, mas logo refleti, pedi perdão e me senti livre", disse o atacante

Luis Suárez, atacante do Barcelona
Reprodução/FCB
Luis Suárez, atacante do Barcelona

Sensação do futebol europeu na última temporada, Luis Suárez está perto de estrear oficialmente com a camisa do Barcelona. O atacante está liberado para jogar o clássico contra o Real Madrid neste sábado após quatro meses de suspensão. Vencido o período imposto pela Fifa, o uruguaio revela que chegou a chorar de alívio por ter acertado com o clube catalão logo após protagonizar lance irracional durante a Copa do Mundo.

"Senti que tinha arruinado minha carreira. A princípio, não queria saber de nada nem ninguém. Me fechei com a família, mas logo refleti, pedi perdão e me senti livre", relembra ao canal espanhol TV3 , referindo-se à mordida que deu no italiano Chiellini durante o Mundial. Mesmo com os dentes nervosos do atacante, o Barça seguiu interessado em sua contratação.

"Começaram os contatos com o Barça e quando Pere (Guardiola, seu empresário) me chamou para dizer que estava feito, comecei a chorar pela situação que estava vivendo e o apoio que o Barça estava me oferecendo", revela o agora camisa 7 azul e grená. "Fiquei feliz pelo compromisso que o clube demonstrou comigo. Tive medo de que voltassem atrás, por toda a repercussão que teve o incidente. Era consciente que poderia acontecer isso", completa o ex-atleta do Liverpool.

A mordida resultou em suspensão de quatro meses, período no qual só esteve à disposição para disputar amistosos pelo Barcelona. Jogou poucos minutos com o time titular durante a pré-temporada, mas ainda assim gera enormes expectativas no torcedor catalão. Ele tem condições legais de enfrentar o Real Madrid e cabe ao técnico Luis Enrique decidir se o artilheiro da Europa na temporada passada estará no clássico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.