Tamanho do texto

Técnico santista lamentou as chances perdidas na derrota contra o Criciúma e ressaltou a eficiência do ataque na goleada sobre o Botafogo, nesta quinta-feira

O Santos de Enderson Moreira tem evoluído a cada desafio. A derrota para o Criciúma por 3 a 0 no último domingo quebrou a série de quatro vitórias seguidas do time e acendeu o sinal de alerta. No entanto, os jogadores responderam rapidamente e garantiram a equipe na semifinal da Copa do Brasil com uma atuação belíssima diante do Botafogo, no Pacaembu, ao golear por 5 a 0 .

Leia mais: Impiedoso, Santos atropela Botafogo e avança à semifinal da Copa do Brasil

"Criamos boas oportunidades e acabamos não fazendo o gol (contra o Criciúma). Hoje conseguimos transformar as chances em gol. Por mais que a gente faça modificações, temos tentado manter o padrão. Sabíamos que com um pouco mais de tempo a equipe poderia fazer um jogo muito bom. Respeitamos a equipe do Botafogo, buscamos o resultado e isso é o mais importante", analisou o treinador, após a classificação, deixando claro que seguirá mexendo nas escalações.

Nesta quinta, Gabriel e Rildo tiveram chance de iniciar como titulares e o treinador explicou a opção. "Às vezes um time mais rápido, mais leve, mais consistente. A gente vai variando um pouco de acordo com o que a gente pode. Vai ser difícil manter a equipe em todos os jogos", esclareceu Enderson, já projetando o desgaste sofrido pela equipe na sequência.

"Eu sempre falo que temos boas opções. Eu continuo falando que às vezes as posições de frente são as que mais desgastam o jogador. Às vezes temos de fazer algumas alterações, modificações. O importante é cada um pegar essa oportunidade. Quanto mais derem respostas, mais oportunidades vão aparecer", avisou o treinador, que montou o 12º time diferente em campo.

Encarar o Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil não fará o Santos abdicar do Campeonato Brasileiro, que é liderado com larga vantagem justamente pelo rival mineiro. "Eu acho que as equipes que estão na semifinal da Copa do Brasil têm pretensões também no Campeonato Brasileiro. E o Santos não vai abrir mão", esclareceu Enderson.

Treinador não tem ordem de preferência dos jogos na semi

Já classificado para encarar o Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil após eliminar o Botafogo com duas vitórias, 3 a 2 no Maracanã e 5 a 0 no Pacaembu, o Santos já convive com a questão se deve seguir atuando no estádio da Capital ou se manda um dos duelos na Vila Belmiro. Enquanto os jogadores admitem preferência pelo estádio na Baixada Santista, o técnico Enderson Moreira minimiza o dilema e aceita o que a diretoria alvinegra determinar.

"São discussões internas que tem de ser resolvidas. A Vila é nossa casa, mas o Pacaembu nos traz todas as condições de fazer bons jogos como temos feito aqui. Hoje foi, sem duvida nenhuma, um show à parte. Nos sentimos muito à vontade. A Vila é nossa casa, nosso campo, mas, se a direção achar que é interessante fazer aqui, temos de estar preparados para enfrentar a semifinal nestas condições", disse Enderson Moreira.

O treinador sabe que o Comitê Gestor pretende solicitar jogos desta grandeza para o palco da goleada desta quinta em função da capacidade de receber mais torcedores. Desta forma, o clube conseguiria uma arrecadação satisfatória com a bilheteria.

Já sobre a ordem do confronto contra o Cruzeiro de olho na grande final da Copa do Brasil, que além do título ainda premia o campeão com a vaga na próxima Libertadores da América, Enderson Moreira também não fez escolhas.

"Eu, particularmente, não tenho preferência. É muito importante. Já participei de diversas situações de mata-mata. As duas condições podem ser interessantes", explicou. "São dois confrontos muito difíceis, dois jogos contra a equipe do Cruzeiro, que vem jogando junto, fazendo um ótimo trabalho. É um jogo de equipes gigantes, equipes que jogam para poder vencer", concluiu o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.