Tamanho do texto

A partida foi interrompida no final do primeiro tempo, quando um drone com a bandeira da "Grande Albânia" sobrevoou o gramado e deu início a uma confusão generalizada

A FFS (Federação Sérvia de Futebol) apontou os albaneses como culpados pelo incidente que culminou com a paralisação da partida entre os dois países na terça-feira, em Belgrado, pelas Eliminatórias para a Eurocopa de 2016. A entidade também anunciou que punirá os torcedores que invadiram o gramado durante a confusão.

A partida foi interrompida no final do primeiro tempo, quando um drone com a bandeira da "Grande Albânia" (território que englobaria partes de Sérvia, Montenegro, Macedônia, Grécia e Kosovo) sobrevoou o gramado e deu início a uma confusão generalizada entre torcedores e jogadores.

"Foi uma distração política bem planejada e, no fim, foi o fator-chave que levou o jogo a ser suspenso", afirmou a Federação Sérvia em comunicado divulgado nesta quarta-feira.O meio-campista Mitrovic, que puxou a bandeira presa ao drone - o que irritou os adversários albaneses e deu início à confusão generalizada -, foi defendido pela entidade máxima do futebol sérvio.

"O que Mitrovic queria era remover a bandeira para que o jogo pudesse continuar, mas os jogadores albaneses o atacaram. Também queremos destacar que os torcedores sérvios não exibiram qualquer cartaz ofensivo em nenhum momento", disse a FFS.

A relação entre sérvios e albaneses é complicada. O Estado de Kosovo, que se declarou independente da Sérvia e agora luta pelo reconhecimento internacional para ser considerado um país, tem 92% de sua população formada por albaneses. Ciente do conflito, a Uefa estabeleceu que a partida em Belgrado seria disputada com torcida única, mas a medida não foi suficiente.

Após a confusão, os jogadores da Sérvia, sob ordem dos policiais que tentaram acalmar os ânimos, também se dirigiram aos vestiários, mas retornaram ao gramado para saudar a torcida presente. Nas arquibancadas, era possível ouvir até mesmo gritos com o nome de Vladmir Puttin, presidente da Rússia, que se posiciona totalmente contra a independência de Kosovo.

O episódio foi condenado pela Fifa e pela Uefa, que já abriu investigação para estabelecer eventuais punições às duas seleções, que estão no Grupo I das Eliminatórias para a Eurocopa 2016.

Seleção da Albânia é exaltada por torcedores

O retorno da seleção da Albânia no Aeroporto Madre Teresa, que desembarcou no Aeroporto Madre Teresa, foi motivo de festa para parte dos albaneses, que receberam os jogadores como se estes tivessem conquistado um título.

"Não importa se vamos nos classificar ou não. O que importa é vencer a Sérvia", disse Astrit Kushi à agência de notícias Efe, enquanto comemorava com amigos nas ruas de Tirana e mantinha a convicção de que a Uefa considerará a Albânia vencedora do jogo interrompido.

Alguns jornais albaneses deram destaque ao episódio nas manchetes desta quarta-feira. Um deles dizia: "Sérvia e Albânia, a batalha pela bandeira. Os símbolos albaneses descem do céu e enlouquecem os torcedores".

O desentendimento em campo também chegou ao campo político. No Twitter, o primeiro-ministro albanês, Edi Rama, disse que se sente orgulho dos rubro-negros e considerou uma "manifestação feia" dos sérvios os incidentes ocorridos na partida.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.