Tamanho do texto

De olho no ouro olímpico, equipe comandada por Alexandre Gallo fez um amistoso contra a equipe principal da Bolívia na Arena Pantanal, em Cuiabá, e venceu por 3 a 1

O primeiro passo da seleção brasileira sub 21 foi positivo. Na noite desta sexta-feira, a equipe comandada por Alexandre Gallo fez um amistoso contra a equipe principal da Bolívia na Arena Pantanal, em Cuiabá, e venceu por 3 a 1 com certa facilidade. Este foi o primeiro compromisso desta nova era vivida pelo time verde e amarelo, que carrega a responsabilidade de buscar a primeira medalha de ouro nos Jogos Olímpicos justamente no Rio de Janeiro, em 2016.

Leia mais: Copa mudou a relação entre Neymar e Messi, interrompida por Brasil x Argentina

Mesmo jogando contra uma equipe profissional, os garotos do Brasil dominaram a partida desde os minutos iniciais. Talvez aproveitando a falta de qualidade dos bolivianos, a seleção olímpica fez 3 a 0 já na etapa inicial, em uma bela atuação de Thalles, jogador do Vasco que fez dois gols e ainda deu duas assistências. O adversário descontou na volta do intervalo, mas nada que ameaçasse a vitória.

Veja também: CBF vende amistosos, e campos ruins viram problema frequente para a seleção

Se o primeiro objetivo de Alexandre Gallo era começar a ambientar os garotos com a pressão que irão receber nos jogos em terras brasileiras, a primeira impressão deixada pela equipe sub 21 foi agradável. Após a vitória desta sexta-feira, o time verde e amarelo volta a atuar na próxima segunda-feira, contra o sub-23 dos Estados Unidos, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Trem-bala da Colina

Entre as novidades desta convocação, Anderson Talisca chegou badalado à seleção por causa da boa temporada no futebol europeu. O atual jogador do Benfica não desapontou em campo e dominou o meio de campo brasileiro desde o início de jogo. O protagonista, porém, foi outro que ainda defende um clube brasileiro. Cria do Vasco da Gama, o atacante Thalles chamou a responsabilidade para decidir.

Convocado por Dunga para a seleção principal após o corte de Maicon, o lateral Fabinho voltou a mostrar qualidade nesta sexta-feira. Aos 14 minutos, o atacante do Monaco fez linda jogada pela direita, deixou a marcação para trás e apenas entregou a Thalles, que balançou as redes.

O time brasileiro dominava completamente o confronto, e ainda abusava do direito de perder gols em jogadas bens construídas por um ataque veloz. Aos 38, depois de desperdiçar uma ótima oportunidade, Luan, atacante do Grêmio, recebeu um lindo passe de Thalles, que aproveitou a saída errada da defesa boliviana, e completou para o gol, ampliando a vantagem brasileira.

Apenas o time verde e amarelo atacava, e o terceiro gol surgiu apenas um minuto depois de a vantagem ser ampliada. Em nova roubada de bola no ataque, Talisca começou a jogada, abriu na esquerda para Ademílson, e o atacante do São Paulo fez o cruzamento para Thalles anotar mais um. A revelação da Colina deixava o Brasil com três gols de vantagem antes do intervalo.

Teste com tranquilidade

Diante da ótima vantagem construída, os garotos do Brasil voltaram para o segundo tempo com mais tranquilidade, mas ainda assim permaneceram com maior volume de jogo. Aos 4, Luan tabelou com Thalles, que tentou uma devolução de letra ao atacante gremista, mas a zaga boliviana conseguiu cortar, evitando mais um belo gol brasileiro. Aos 9, Luan quase marcou, e desta vez parou no goleiro Quiñonez.

A equipe boliviana ao menos mostrava esforço, e, mais organizada no segundo tempo, teve o seu empenho recompensado com um belo gol de honra. Diaz dominou no meio de campo aos 15, percebeu a movimentação do ataque e fez o passe nas costas da zaga brasileira. Lizio recebeu dentro da área, saiu na cara do goleiro e mostrou categoria para tocar por cobertura.

Com o passar do tempo, Alexandre Gallo passou a testar o restante do grupo. Anderson Talisca deu lugar a Felipe Gedoz, enquanto Fred e Kelvin ocuparam as vagas de Ademílson e Luan. Por se tratar de um amistoso, o treinador brasileiro tinha direito a mais alterações, então Claudio Winck e Samir também substituíram Fabinho e Dória. Por último, Alison foi trocado por Danilo.

Aqueles que saíram do banco de reservas ainda tentaram mostrar serviço, como Claudio Winck, que quase marcou em chute de longe, mas o time brasileiro já não conseguia mostrar o mesmo ritmo. Os bolivianos, percebendo o desinteresse do adversário com a proximidade do apito final, tentaram se aventurar no ataque, mas faltou qualidade para tirar o 3 a 1 do placar.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 x 1 BOLÍVIA

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 10 de outubro de 2014 (Sexta-feira)
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Fernando Rapallini
Cartão amarelo: Gutierrez (Bolívia)
Gols: BRASIL: Thalles, aos 14 e aos 39; Luan, aos 38 minutos do primeiro tempo
BOLÍVIA: Lizio, aos 15 minutos do segundo tempo

BRASIL: Jacsson, Fabinho (Claudio Winck), Wallace, Dória (Samir) e Wendell; Alison (Danilo), Matheus Biteco e Talisca (Felipe Gedoz); Ademílson (Fred), Luan (Kelvin) e Thalles
Técnico: Alexandre Gallo

BOLÍVIA: Quiñonez; Raldés, Eguino, Zenteno e Gutierrez; Lizio, Mojica (Azogue), Melean (Vaca) e Campos (Dalence); Andaveris (Arce) e Oscar Díaz (Saucedo)
Técnico: Mauricio Soria

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.