Tamanho do texto

Atacante desencantou e marcou o gol que garantiu ao time paulista a aproximação da briga por um lugar no G4 do Brasileirão

Leandro Damião foi comparado a um “pangaré” pelo ex-presidente santista, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, na véspera do jogo contra o Bahia . E a resposta veio nesta quinta-feira, no campo da Vila Belmiro. O camisa 9 do Santos marcou o gol da vitória em cima do rival baiano e garantiu a terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro - com a Copa do Brasil, já é o quarto jogo seguido que o Santos vence.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

"Não dou resposta à ninguém. As pessoas que estão ao meu redor cuidam disso. Torcedor sabem que estou batalhando para fazer meu trabalho. Enquanto estiver aqui dentro, vou batalhar para ajudar o Santos. Joguei cinco anos no Inter e nunca tive problema com dirigente. Não será aqui", disse Leandro Damião, no intervalo do confronto válido pela 27ª rodada do Brasileirão.

Leandro Damião comemora gol do Santos contra o Bahia
Alexandre Schneider/Getty Images
Leandro Damião comemora gol do Santos contra o Bahia

Agora com 42 pontos, o time de Enderson Moreira segue na perseguição ao G-4 e uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem. Apenas quatro pontos separam o alvinegro praiano do pelotão de cima. Por outro lado, o Bahia viu sua série de quatro partidas de invencibilidade ser interrompida, além de se reaproximar da zona de rebaixamento. O clube, que está devendo dois meses de salários aos seus jogadores, está apenas um ponto acima da degola.

Na próxima rodada, o Santos visita o Criciúma no domingo, as 18h30, em Santa Catarina. Enquanto isso, o Bahia recebe a Chapecoense as 16 horas do mesmo dia, na Fonte Nova, em Salvador.

Blitz

Jogando diante de seu torcedor, na Vila Belmiro, o Santos nem pensava em tropeçar nesta quinta-feira, contra o Tricolor baiano. E por isso, logo após o apito do árbitro, partiu para cima mostrando que buscaria a vitória a todo preço.

Logo aos 34 segundos, Geuvânio obrigou Marcelo Lomba a fazer uma grande defesa em chute de média distância. Em seguida, Leandro Damião completou cruzamento de cabeça com perigo.

À vontade em campo, Geuvânio partia para cima de seus marcadores sempre que recebia a bola. O garoto deu sequência a blitz santista em nova chance, mas bateu no meio do gol.

E o que parecia questão de tempo veio aos 10 minutos. Caju fez boa jogada pela esquerda e abriu para Patito Rodriguez, que cruzou na cabeça de Leandro Damião. A bola ainda desviou no zagueiro do Bahia antes de entrar no canto.

Mesmo à frente do placar, o Peixe não se acomodou e seguiu pressionando. Aos 27, Lucas Lima deu linda enfiada para Geuvânio, que entortou o zagueiro, mas cruzou nas costas de Damião.

O Bahia chegou uma única vez e não empatou a partida porque Rafael Miranda fez o mais difícil. Depois de cruzamento da esquerda, os zagueiros do Santos bateram cabeça e a bola sobrou para jogador baiano, que de dentro da pequena área e sem goleiro, bateu para fora. Inacreditável. Mas foi só.

Aos 30 minutos, Lucas Lima mostrou mais uma vez que está em grande fase e fez um longo e perfeito lançamento para Damião, que dominou e bateu com perigo, mas para fora.

Patito Rodriguez, que recebia a chance de iniciar uma partida após 1 ano e cinco meses, recebeu passe pela direita e ficou de frente para o gol, mas acabou enchendo o pé em cima do goleiro Marcelo Lomba, que espalmou no reflexo e evitou que o prejuízo do Bahia aumentasse antes do fim da primeira etapa.

Nem lá, nem cá

Após conversar nos vestiários com o técnico Enderson Moreira, o Santos voltou para o segundo tempo buscando marcar forte e manter a posse de bola. Sem o mesmo ímpeto, o alvinegro seguiu comandando as ações do jogo e só não ampliou a vantagem porque Leandro Damião se enrolou sozinho com a bola depois de excelente cruzamento de Lucas Lima, que deixara o camisa 9 cara a cara com Marcelo Lomba.

E aos 13 minutos, quem impediu o gol santista foi o travessão. Geuvânio, destemido, mais uma vez partiu para cima do marcador, pedalou e emendou uma bomba no ângulo. Marcelo Lomba nem pulou e só assistiu a bola explodir na trave.

Mas o torcedor santista não pode reclamar porque a trave também salvou o time de Vila Belmiro de sofrer o empate aos 17 minutos, quando Marcos Aurélio cobrou falta no canto e só não comemorou porque a bola acabou batendo na trave, antes de sair pela linha de fundo.

A partir da segunda metade da etapa complementar, o ritmo do jogo caiu bastante. O Bahia passou a sair mais para o ataque e o Santos até teve mais espaços para contra-atacar, mas pecava no passe.

Autor do gol do jogo, Leandro Damião foi substituído por Leandrinho e deixou a partida aplaudido pelo torcedor na Vila Belmiro. Rildo e Gabriel também entraram e acabaram protagonizando uma grande jogada aos 34 minutos. Porém, Gabriel não aproveitou a linda jogada individual de seu companheiro e chutou para fora uma oportunidade clara de gol.

O Bahia assustava principalmente com Marcos Aurélio, que entrou no segundo tempo e infernizou os laterais Cicinho e Caju. Vladimir trabalhou bem quando foi exigido.

Nos minutos finais, o Santos apenas administrou sua vantagem mínima e controlou as ações do Bahia. Já aos 44 minutos, o técnico Gilson Kleina foi expulso após tanto reclamar com a arbitragem e não viu seu time quase arrancar o empate nos acréscimos. Sozinho, Kieza completou de cabeça cobrança de escanteio e a bola saiu raspando a trave esquerda de Vladimir.

FICHA TÉCNICA - SANTOS 1 X 0 BAHIA

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 9 de outubro de 2014, quinta-feira
Horário: 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS-ASP FIFA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS-ASP FIFA) e Lucio Beiersdorf Flor (RS-CBF 2)
Renda: R$ 142 mil
Público: 6.148 pagantes
Cartões amarelos: David Braz (Santos); Kieza (Bahia)

GOL
SANTOS: Leandro Damião, aos 10' do 1T

SANTOS: Vladimir; Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Caju; Souza, Arouca e Lucas Lima; Patito (Gabriel), Gauvânio (Rildo) e Leandro Damião (Leandrinho)
Técnico: Enderson Moreira

BAHIA: Marcelo Lomba, Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Pará; Fahel (Diego Macedo), Rafael Miranda, Léo Gago (Marcos Aurélio) e Emanuel Biancucchi; Kieza e William Barbio (Maxi Biancucchi)
Técnico: Gilson Kleina

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.