Tamanho do texto

Antes de vencer Atlético-MG e Sport, time ouviu reclamações de torcedores que foram ao CT do clube protestar contra a má sequência de resultados no Brasileirão

Mano Menezes aproveitou uma pergunta sobre o bom desempenho do Corinthians nas partidas contra Atlético-MG e Sport para mencionar sarcasticamente os protestos que antecederam a sequência. Cerca de 50 torcedores foram ao CT do Parque Ecológico na semana passada, com gritos como o já tradicional "joga por amor ou joga por terror".

Mano arma Corinthians sem Ralf para pegar o líder Cruzeiro no Mineirão

"Evoluiu depois do protesto dos torcedores, né?", afirmou o técnico, o principal alvo daqueles que fizeram cobranças no alambrado. Ele já havia apontado motivação política nos atos - de pessoas com uniformes das organizadas Camisa 12 e Gaviões da Fiel -, com eleições presidenciais no clube do Parque São Jorge marcadas para fevereiro.

Brincadeira, como chamou, à parte, Mano disse que não houve mágica no crescimento do Corinthians após duas partidas muito ruins. Foram as derrotas para Figueirense e Atlético-PR que levaram a insatisfação dos torcedores - e não só os organizados - a um nível elevado.

Leia também: Para Fagner, time precisa de sequência para não desistir do Brasileiro

"Foi o trabalho que a gente vem executando. Tínhamos perdido dois jogos, e parecia que tinha caído o mundo. Eu dizia que não tinha caído, que o ambiente era bom e que nós voltaríamos a vencer", comentou o gaúcho, cuja mensagem de confiança acabou sendo corroborada por atuações convincentes.

"Foi exatamente isso, sem milagres, que fez a gente vencer o Atlético e repetir isso contra o Sport, com uma das maiores diferenças de placar que conseguimos no campeonato. Isso não aconteceu por nada além do trabalho, aquele sem graça que a gente faz no dia a dia", concluiu Mano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.