Tamanho do texto

Treinador do Palmeiras se irrita com os comentários de que o volante já teria acertado sua transferência para o São Paulo e confirma sua presença como titular diante da Chapecoense

Dorival Júnior confia na palavra de Wesley e aposta que o jogador cumprirá seu contrato
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Dorival Júnior confia na palavra de Wesley e aposta que o jogador cumprirá seu contrato

Wesley reclamou de dores musculares e virou desfalque exatamente quando ficou livre para assinar pré-contrato e sair do Palmeiras de graça em fevereiro. A própria diretoria não mostrou confiança na palavra do volante ao desmentir os rumores de acerto com o São Paulo . Mas Dorival Júnior escalará o jogador como titular nesta quinta-feira, contra a Chapecoense , e faz um discurso em sua defesa.

Confira a classificação atualizada, artilharia e notícias do Brasileirão

"O Brasil é o país da fofoca, essa é a verdade. O brasileiro vive da fofoca no dia a dia, passam muita informação errada e ninguém fala nada. Precisam ter responsabilidade em algumas colocações", disse o treinador, bastante irritado pela desconfiança que a torcida também tem no atleta que, sob seu comando, viveu a melhor fase da carreira no Santos, em 2010.

"Conhecendo o Wesley, tenho certeza de que nada disso é verdade com relação a negociações. Ele tem compromisso até fevereiro e vai ser aproveitado. Priorizou uma renovação que ainda não aconteceu e não acredito em qualquer situação paralela a isso. Não vejo nada que comprometa o profissional pelo que ele fez e falou. Prefiro acreditar em quem conheço. Basta uma palavra para sustentar a situação", justificou.

E mais: Após cirurgia, Fernando Prass adota cotoveleira de skatista para voltar a jogar

O relacionamento entre os representantes de Wesley e a diretoria, no entanto, não é bom. O presidente Paulo Nobre já disse a conselheiros que cedeu em todos os pedidos do jogador e o vice-presidente Mauricio Galiotte, que comandou as negociações, relatou ter chegado a acordo, tanto que garante estar com o contrato pronto à espera da assinatura do volante. Os empresários do jogador, porém, se irritaram com a demora para o acerto e prometem fazer o Verdão esperar, o que também incomoda o clube.

Em meio à discussão, Wesley relatou a dirigentes que foi vítima de agressão de torcedor, mas não quis acusa ninguém nominalmente, passou a dizer que foi só um entrevero e, depois, pediu para deixar o assunto de lado, o que aumentou a desconfiança da diretoria. Mas não a de Dorival.

"Ele teve um atrito com torcedor porque o ser humano hoje em dia é assim, se sente respaldado pela impunidade. O cidadão vive fazendo ameaças porque continuará impune", continuou discursando o treinador, confiando na dinâmica do jogador contra a Chapecoense, apesar de o camisa 11 não entrar em campo desde 23 de agosto.

"Ele tem tudo para ser importante e resgatar suas melhores condições no Palmeiras. Antes de viver um grande momento no Santos em 2010, vivia um momento ruim até fazer uma bela campanha no Atlético-PR. Será natural uma dificuldade inicial, mas não vejo problemas. É um jogador experiente e preparado, que pode buscar superação e encontrar regularidade", apostou Dorival.

* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.