Tamanho do texto

Distantes do G4 no Brasileirão, equipes apostam na Copa do Brasil para tentar uma vaga na Libertadores do ano que vem

Botafogo e Santos fazem um choque de alvinegros às 19h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Maracanã, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil . Mas apesar das semelhança nas cores, os times atravessam momentos diferentes na temporada. O time paulista é o oitavo colocado no Campeonato Brasileiro, enquanto o carioca estacionou nos 26 pontos e segue muito ameaçado pelo rebaixamento.

Confira a tabela de jogos, artilharia e notícias da Copa do Brasil

Vagner Mancini, técnico do Botafogo, enxerga a competição como a grande chance de dar brilho a uma temporada marcada por insucessos. “Temos um jogo por uma outra competição e devemos pensar que na Copa do Brasil estamos nas mesmas condições de todos os adversários, não lutando contra a zona de rebaixamento. Conseguimos uma classificação muito importante diante do Ceará, que deixou a todos muito motivados”, garante Vagner Mancini, lembrando o histórico triunfo por 4 a 3 no Nordeste após derrota por 2 a 1 no Rio de Janeiro.

O treinador ainda enaltece a força do adversário. “O Santos é uma grande equipe, tem um elenco muito qualificado, mas pode ser superado. Portanto estamos confiantes em uma grande partida, já que precisamos fazer o resultado em casa".

Sobre a estratégia para a partida, o Botafogo admite que pretende impedir que o Santos consiga gols como visitante, um dos principais critérios de desempate na Copa do Brasil. “Não podemos pensar na possibilidade de sofrer gols, e os riscos que vamos correr na busca pela vitória precisam ser calculados muito bem para não colocarmos tudo a perder", entende o zagueiro Bolívar. "O Santos é um time perigoso nos contra-ataques e não pode ter espaços. Temos que agredir, mas com inteligência.

"Em termos de escalação, o atacante Emerson Sheik está liberado para jogar. Ele foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta de sua conduta na derrota de 3 a 2 para o Bahia. Na ocasião, o jogador gritou para quem quisesse ouvir que a CBF é "uma vergonha", mas a suspensão de quatro jogos só será cumprida no Brasileirão. Assim, a base do time deve ser a mesma que foi derrotada pelo Grêmio.

Do outro lado do confronto, o Alvinegro Praiano vai para mais uma batalha longe de seus domínios tentando sair do Rio de Janeiro com vantagem. Mas o confronto longe da Vila Belmiro causa certo calafrio em seus torcedores, já que no Brasileirão a equipe santista não vence fora de casa há oito partidas, sendo sete derrotas e um empate.

"A Copa do Brasil é diferente, é um mata-mata, são dois jogos, a gente sabe que o primeiro jogo é importante, o que muda é isso", afirma o volante Alison. "A gente tem dificuldade para vencer fora, mas na Copa do Brasil tivemos bons resultados, contra o Grêmio mesmo", lembra, citando a vitória por 2 a 0 sobre o Tricolor Gaúcho, em Porto Alegre.

Para o confronto desta quarta-feira, o Santos não terá grandes mudanças. Vladimir e Geuvânio seguem entre os titulares nas vagas dos lesionados Aranha e Thiago Ribeiro. Robinho, recuperado de um incômodo muscular, também está confirmado ao lado de Leandro Damião, que retoma a vaga de centroavante no lugar de Gabriel.

No primeiro turno do Brasileirão, o Peixe acabou derrotado pelo Fogão por 1 a 0 (gol de Daniel) no mesmo Maracanã e com um time muito parecido, mas o técnico era Oswaldo de Oliveira. "Cada treinador tem seu modo de trabalhar, mas quando estava o Oswaldo também fizemos boas partidas. Com o Enderson também, temos boas atuações. Não mudou muita coisa, a base é a mesma", analisa Alison, que também será titular, formando o meio com Arouca e Lucas Lima.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO X SANTOS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 1º de outubro de 2014, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Guilherme Dias Camilo (MG)

BOTAFOGO: Jéfferson, Dankler, Bolívar, André Bahia e Julio Cesar; Aírton, Gabriel, Cachito Ramirez e Pablo Zeballos; Rogério e Emerson Sheik
Técnico: Vagner Mancini

SANTOS: Vladimir, Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Geuvânio, Robinho e Leandro Damião.
Técnico: Enderson Moreira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.