Tamanho do texto

Técnico preferiu trocar sistema adotado em partida contra o Figueirense e deu novas chances a Bruno César e Wesley

Após perder do Figueirense, Dorival Júnior resolveu mexer no esquema tático do Palmeiras e sacar exatamente quem fez o único gol da equipe no jogo de domingo. No treino desta quarta-feira, véspera do confronto diante da Chapecoense no Pacaembu, o técnico tirou Cristaldo do time e armou o Palmeiras com Lúcio, Juninho, Wesley e Bruno César entre os titulares.

Veja a classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Em atividade tática, sem nenhum adversário, Dorival abriu mão do 4-2-3-1 e armou um losango no meio-campo, com Diogo mais solto para se aproximar de Henrique na frente. A formação teve: Deola; João Pedro, Lúcio, Gabriel Dias e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley e Bruno César; Diogo e Henrique.

Cristaldo fez o gol do Palmeiras contra o Figueirense, mas foi sacado do time titular
Fernando Dantas/Gazeta Press
Cristaldo fez o gol do Palmeiras contra o Figueirense, mas foi sacado do time titular

Dos ausentes em Santa Catarina, Lúcio volta após se recuperar de dores musculares, Juninho retoma a posição depois de cumprir suspensão, Wesley retorna após reclamar de dores musculares desde seu último jogo, em 23 de agosto, contra o Coritiba, e Bruno César depende do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para ser confirmado.

O camisa 30 é o substituto de Valdivia, mas, nesta quarta-feira, o STJD receberá se aceita o efeito suspensivo em relação a chileno. Caso o departamento jurídico tenha sucesso, é temporariamente invalidada a suspensão de dois jogos ao camisa 10 pelo pisão no volante Amaral, do Flamengo, e o meia vira titular.

Cobrando bastante antes, durante e depois do treino, Dorival mostrou na movimentação como aposta em Wesley. Com Marcelo Oliveira como primeiro volante e Victor Luis pela esquerda, o técnico transformava Wesley em meia para ajudar Bruno César e coordenava as passagens de João Pedro pela direita.

Bruno César estava centralizado na armação, mas, além de Wesley, recebia constante ajuda de Diogo. O atacante se mexia por todos os lados para dar opção e levar a bola a Henrique, que segue como referência no ataque, embora abuse de erros técnicos como domínio e finalização mesmo nos treinamentos na Academia de Futebol.

O Palmeiras está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, mas basta vencer a Chapecoense às 19h30 (de Brasília) desta quinta-feira, no Pacaembu, para deixar de ocupar uma das quatro últimas colocações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.