Tamanho do texto

Atacante está emprestado ao Atlas e diz estar feliz no clube, mas se põe à disposição do Verdão para 2015 e, à distância, acompanha luta do ex-time para seguir na elite do Brasileiro. Nesta terça, ele encara Ronaldinho no Campeonato Mexicano

Desolado, Maikon Leite lamenta empate diante do Fla em 2012. Atacante perdeu chance clara de gol na partida
Gazeta Press
Desolado, Maikon Leite lamenta empate diante do Fla em 2012. Atacante perdeu chance clara de gol na partida

A imagem do rebaixamento do Palmeiras no Campeonato Brasileiro de 2012 ainda é marcante para Maikon Leite. Minutos antes de Vagner Love empatar para o Flamengo (1 a 1), em Volta Redonda (RJ), o atacante desperdiçou uma chance clara de gol que, no fim das contas, talvez não salvasse a equipe paulista do descenso, mas que no momento serviria como mais um alento para acreditar na salvação. 

Dois anos depois, defendendo por empréstimo o Atlas, Maikon Leite acompanha à distância, pela internet ou por esporádicas transmissões de TV, mais uma batalha do Palmeiras para se manter na elite nacional - é o primeiro na zona de degola, no 17º lugar, com 25 pontos. Com contrato até junho de 2016 e sem saber se permanecerá no futebol mexicano, a única certeza que ele tem para o ano que vem é a reapresentação ao clube paulista, e se coloca à disposição para recomeçar sua história pelo Verdão, seja qual for a divisão: "Fico triste pelo momento, é um grande clube com uma grande torcida, e por isso não merece passar por isso. Estou na torcida porque em janeiro estarei de volta. Espero que continue jogando a Série A, mas se quiserem que eu fique sou homem o suficiente para jogar a Série A ou B", disse o atacante ao iG Esporte . "O clube só tem a perder com outro rebaixamento e não merece passar por isso. É hora de torcer, apoiar, não adianta ir cada um para um lado", completou.

Valdivia é julgado pelo STJD por pisão e pega dois jogos de suspensão

Embora fale sobre permanecer no Palmeiras em 2015, Maikon Leite demonstra ansiedade quanto ao seu futuro. Ele disse estar satisfeito com sua passagem pela América do Norte. É o camisa 10 do Atlas, atual terceiro colocado do Campeonato Mexicano, atuou em 12 partidas, oito como titular, tem um gol e três assistências na temporada. O clube ainda não sinalizou se pretende contratá-lo definitivamente. "Tenho jogado com frequência, não tenho do que reclamar, não tive lesões... Faltam três meses para acabar o ano. Por enquanto prefiro continuar jogando bem até dezembro."

O atacante brasileiro Maikon Leite em partida pelo Atlas, do México
Divulgação
O atacante brasileiro Maikon Leite em partida pelo Atlas, do México

O que mais o surpreendeu no México foi um aspecto um pouco fora de moda no futebol brasileiro atualmente: organização. "As equipes são bem iguais, o campeonato é forte e melhor organizado do que o Brasileiro. Fazer dois jogos na semana não é frequente, no Brasil se joga desta forma o ano inteiro. Quando tem data Fifa, o campeonato para", disse o atacante de 26 anos, também admirado com a recepção do torcedor.

"É fantástico, me acolheram de uma forma que não tenho palavras. Se estou no banco, eles gritam meu nome e pedem que eu vá para a cancha (campo). É de arrepiar, sem palavras", ressaltou.

Ronaldinho pela frente

O próximo compromisso de Maikon Leite pelo Atlas será nesta terça-feira. Em casa, a equipe de Guadalajara recebe o Querétaro, que recentemente contratou Ronaldinho Gaúcho. A chegada do ex-astro do Barcelona tem causado furor no México. "Pelo que estou percebendo a movimentação na arquibancada será grande para este jogo. Nosso time é o terceiro colocado, o torcedor tem comparecido e a presença de Ronaldinho no estádio deve atrair ainda mais atenção", avaliou o atacante, empolgado com o duelo.

Ronaldinho Gaúcho faz seu primeiro gol no futebol do México

"(A contratação de Ronaldinho) Foi positiva para todos os lados, para o torneio, para os brasileiros que jogam aqui... No campo vai ser difícil enfrentar o Ronaldinho, pelo jogador que é. Sem dúvida nenhuma será uma atração do jogo. Eu já o enfrentei no Brasil, a novidade (de jogar contra ele) não é tanto para mim, mas os mexicanos vão viver uma situação diferente nessa partida", disse Maikon Leite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.