Tamanho do texto

Defensor Diego Sacoman ainda revelou que recebeu o apoio de ex-companheiros da sua época de Corinthians

O zagueiro Diego Sacoman foi diagnosticado com uma hipertrofia do coração , e enquanto o problema persistir, ele terá que ficar afastado do futebol. A versão oficial divulgada pela Ponte Preta na última terça-feira afirma que o atleta ficará três meses em um tratamento que exige repouso absoluto, e após esse período, se submeterá a uma nova avaliação. Mas Diego nem sequer cogita a hipótese de colocar um fim precoce em sua carreira. Aos 27 anos, o defensor demonstra confiança em uma recuperação plena e acredita que logo estará de volta aos gramados.

Diego Sacoman, zagueiro da Ponte Preta
Site oficial
Diego Sacoman, zagueiro da Ponte Preta

"Estou tranquilo. O problema não é nada assustador, os meios de comunicação que aumentaram um pouco a história. O tratamento que eu vou fazer é apenas precaução dos doutores, não é nada grave", afirmou o zagueiro. A recomendação é que Diego fique o máximo de tempo que puder em repouso para aumentar suas chances de voltar a jogar, mas segundo os médicos, não é 100% garantido.

"O tratamento consiste em repouso absoluto, sem atividade física. Daqui a três meses eu serei avaliado novamente. Nunca senti dor no peito e nunca tive desmaios e isso intrigou os médicos a aprofundarem os exames. Eu não tenho nada, sempre joguei bem. Tinha cansaço muscular natural para o jogo intenso que é o futebol, mas fora isso, sempre me senti muito bem", avaliou Diego.

Diego Sacoman em ação contra o São Paulo
Paulo Whitaker/Reuters
Diego Sacoman em ação contra o São Paulo

A última atuação de Diego pela Ponte foi no dia 30 de agosto, na vitória por 2 a 0 sobre o Náutico. Praticamente acertado com o Atlético-PR, logo depois do duelo ele viajou a Curitiba para assinar contrato e realizar exames médicos, mas foi reprovado e mandado de volta a Campinas. Após 15 dias de avaliações com especialistas, o clube e o jogador decidiram se pronunciar sobre a situação.

Diego definiu seu tratamento dos próximos meses como algo "normal" e o comparou a uma recuperação de lesão no púbis pela qual passou nos últimos meses. Em maio deste ano, no jogo contra o Oeste válido pela quinta rodada da Série A, o jogador lesionou a região do púbis e ficou afastado por quase três meses. Voltou a campo em agosto e, menos de um mês depois, a hipertrofia foi diagnosticada.

"É normal que, como se trata do coração, as pessoas se preocupem um pouco mais, é natural do futebol. Mas estou tranquilo e confiante de que vou voltar a jogar normalmente", disse.

Ao lado de Tiago Alves na zaga da Macaca, o jogador se firmou como titular absoluto e vivia um dos melhores momentos da carreira no time. Querido pela torcida, Diego afirma ter recebido diversas mensagens de carinho da massa alvinegra.

"Fico muito feliz com o apoio de todos. Mesmo antes de eu me pronunciar, muitas pessoas deixaram mensagens para mim nas redes sociais e nas redes sociais que eu tenho. Agradeço muito, mas tranquilizo que não é nada grave, que estou bem e daqui a três meses estou de volta", comentou.

Além da torcida, várias pessoas do meio futebolístico entraram em contato com Sacoman para oferecer palavras de apoio.

"O meia Adrianinho, colega na Ponte Preta, foi um dos amigos que me ligou para dar uma força. O Júlio César, goleiro do Náutico, que é meu irmão dentro do futebol, também falou comigo. Dentinho, Willian e vários amigos que fiz ligaram para saber como eu estava. É difícil falar em nomes, talvez eu me esqueça de alguém e não quero cometer esse pecado porque teve bastante gente ligando", explicou Sacoman.

Sobre planos alternativos caso tenha que abandonar a carreira de jogador, Diego não gosta nem de pensar. Está certo de que vai continuar atuando nas quatro linhas por muito tempo.

"Ainda pretendo jogar bastante tempo. Quando eu estiver próximo de encerrar a carreira, aí eu penso no que vou fazer. Por enquanto, só quero jogar muito futebol", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.