Tamanho do texto

"Não nos afeta em nada, até porque não cabe a nós nos envolvermos. O grupo está tranquilo", avisou o jogador

A crise política do São Paulo não vai interferir na boa fase do time no Campeonato Brasileiro, segundo os jogadores. Nesta terça-feira, um dia depois de o ex-presidente Juvenal Juvêncio ter sido tirado da diretoria por Carlos Miguel Aidar (seu sucessor e antigo aliado), o foco no CT da Barra Funda foi exclusivamente voltado para o Coritiba, próximo adversário na competição.

Juvenal se diz arrependido com Aidar e prevê problemas para o São Paulo

Quem falou pelo grupo foi Michel Bastos. "Em lado político, não cabe a gente se envolver. A gente está aqui para fazer nosso trabalho, para, nas quartas e nos domingos, dar nosso melhor para tentar vencer. O grupo está focado no jogo contra o Coritiba, que é o mais importante. Não nos afeta em nada, até porque não cabe a nós nos envolvermos. O grupo está tranquilo, focado e confiante para a partida", disse.

Michel Bastos, meia e lateral do São Paulo
Site oficial
Michel Bastos, meia e lateral do São Paulo

A guerra nos bastidores teve início a partir do momento em que Aidar, eleito com apoio de Juvenal, passou a demitir membros e funcionários da gestão passada. Piorou quando o mandatário atual criticou publicamente a administração financeira de seu antecessor, o qual decidiu responder. Depois disso, na segunda-feira, Juvenal também foi demitido, o que levou alguns de seus aliados, como o vice-presidente Roberto Natel, a tomarem o mesmo caminho.

Em reunião no Morumbi, Aidar teria assegurado que nada será modificado no futebol, no entanto. Esse recado, porém, não chegou diretamente a ninguém da comissão técnica ou do elenco. "Todos os jogadores sabem que não têm que se meter, até porque a gente não vai conseguir interferir em nada. Então, temos que fazer nosso trabalho, é para isso que estamos aqui", comentou Michel Bastos, dizendo ser desnecessário qualquer aviso de garantia.

"A gente tem que estar focado no futebol. Não sou diretor, não sou presidente, sou jogador. O que tenho que fazer é jogar bola. Outros clubes têm problemas também. Temos que focar nosso trabalho", reforçou o jogador, que ainda busca espaço na equipe, mas deverá ser titular nesta quarta-feira, diante do Coritiba, no Couto Pereira, devido à suspensão de Kaká.

Apesar dos problemas políticos, o São Paulo vai muito bem em campo. A equipe acaba de vencer o Cruzeiro e diminuir para quatro pontos a distância para o time mineiro, que lidera o Brasileiro. Já são nove rodadas de invencibilidade, com sete vitórias e dois empates.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.