Tamanho do texto

Membros de organizadas pularam o alambrado para retirar uma faixa de apoio ao Figueirense

Apesar da vitória por 3 a 0 sobre o Figueirense , neste domingo, em Feira de Santana, a partida pode acarretar ao Bahia uma nova punição. A atitude de alguns torcedores pode, mais uma vez, prejudicar o clube, já que o árbitro da partida, Gilberto Rodrigues Castro Junior (CBF-PE), relatou na súmula o tumulto no Joia da Princesa.

No início do primeiro tempo, membros das torcidas organizadas do Bahia pularam o alambrado que os separava dos visitantes para retirar uma faixa de apoio ao Figueirense. Enquanto torcedores catarinenses tentavam se proteger, a Polícia Militar agia para retirar os tricolores, sendo oito deles presos e encaminhados para a delegacia.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

O árbitro Gilberto Rodrigues Castro Junior registrou o ocorrido na súmula. "Aos 13 minutos de jogo iniciou-se uma briga na arquibancada, paralisei a partida no momento que houve um lateral a favor da equipe do Figueirense e neste momento o policiamento sob comando do Major Carvalho conseguiu sanar o conflito prendendo oito torcedores do Bahia, fato informado pelo árbitro reserva", escreveu.

Com os acontecimentos, o Bahia pode ser enquadrado em, pelo menos, três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O artigo 191 se refere a "deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento de medidas para garantir a segurança dos torcedores antes, durante e após a realização da partida". O 211, por sua vez, fala em "deixar de manter o local indicado para a realização da partida com infraestrutura necessária a assegurar a plena garantia e segurança para a sua realização". Já o 213 pune por "deixarem de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens na praça de desporto, além de atirar objetos no gramado". As sanções variam entre multa e perda de mando de campo.

Na partida do último domingo, o Bahia cumpria o último jogo da punição com perda de dois mandos de campo. No dia 29 de maio, a equipe enfrentou o Santos também em Feira de Santana, onde muitos torcedores ficaram presos em um dos setores do estádio, que ficou superlotado. A pena foi de um jogo com portões fechados e outro situado a uma distância mínima de 100km de Salvador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.