Tamanho do texto

"Se estamos empatando, é sinal de que somos uma equipe difícil de ser batida", defendeu o meia Renato Augusto

Renato Augusto, meia do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Renato Augusto, meia do Corinthians

O Corinthians foi o time com maior número de empates (nove) no primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Nas últimas duas rodadas, acumulou novas igualdades, por 1 a 1 com o Fluminense e por 0 a 0 com o Criciúma. Nada que cause muita preocupação nos comandados de Mano Menezes.

"Se estamos empatando, é sinal de que somos uma equipe difícil de ser batida", defendeu o meia Renato Augusto, nesta segunda-feira. "O campeonato está muito equilibrado. Ninguém tem encontrado facilidade. A gente vem fazendo boas partidas. Em alguns dos empates, o time merecia a vitória. Mas futebol tem disso: nem sempre o melhor vence", acrescentou.

A grande quantidade de empates foi um dos motivos para Tite não ter sequência no Corinthians em 2014. Assim como no ano passado, o time de Mano tem se mostrado seguro na defesa (é o menos vazado do Brasileiro, com 12 gols sofridos), porém encontra problemas no setor ofensivo. Ainda mais porque Guerrero, Lodeiro e Elias estão convocados para defender as suas seleções, Romarinho foi vendido para o El Jaish, do Catar, e Luciano cumpriu suspensão diante do Criciúma.

"O nosso problema é contra as equipes que estão na parte de baixo da tabela, que jogam fechadas. É muito mais difícil construir do que destruir. Quando a gente joga de igual para igual contra quem está no alto, o rendimento é melhor. O time precisa trabalhar esse ponto", analisou Renato Augusto.

Mesmo com a alternância de desempenho, o Corinthians conseguiu terminar o primeiro turno do Brasileiro na zona de classificação à Copa Libertadores da América, na quarta posição. A equipe de Mano soma 33 pontos, dez de desvantagem para o líder Cruzeiro.

Para Renato Augusto, a briga do Corinthians ainda é pelo título. "O segundo turno vai começar agora, então tudo é possível. É claro que teremos dificuldades nas datas Fifa, até porque só o Guerrero tem a característica de fazer o pivô, mas vamos nos ajudar para suprir as ausências", declarou o meia.

O lateral esquerdo Fábio Santos é outro corintiano confiante. "Sabemos que, se trocássemos dois empates por vitórias, estaríamos brigando pelo título já agora. Mas também não é uma campanha de se jogar fora. O primeiro turno acabou, e estamos no G-4. Esse era um dos objetivos. Devemos valorizar", relevou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.