Tamanho do texto

Gaúchos não conseguiram levar muito perigo ao gol de Lomba, mas Barcos deixou o seu para dar a vitória ao Grêmio na Arena

Gremistas comemoram o gol de Barcos, o único na vitória contra o Bahia na Arena
Edu Andrade/Fatopress/Gazeta Press
Gremistas comemoram o gol de Barcos, o único na vitória contra o Bahia na Arena

O Grêmio esteve longe de convencer, chegando a ser vaiado por sua torcida no intervalo, mas os erros do Bahia compensaram a falta de criatividade dos comandados de Luiz Felipe Scolari. Com gol de Barcos, o time gaúcho venceu por 1 a 0 em Porto Alegre e se aproximou do G-4 do Campeonato Brasileiro , zona que dá vaga na próxima Copa Libertadores.

Barcos foi protagonista em dois dos três lances de perigo dos anfitriões na Arena, e aproveitou o segundo deles, desviando na linha do gol, aos 13 minutos do segundo tempo, após finalização de Dudu em jogada de Giuliano. Fora isso, apenas um chute de Zé Roberto bem rebatido por Marcelo Lomba.

O problema do Bahia foi sua dificuldade em acertar passes para se aproximar da zaga adversária. Assim, estacionou nos 16 pontos, ainda na zona de rebaixamento. Às 22h de quarta-feira, em Salvador, o clube defende vantagem de vitória por 2 a 0 na ida, diante do Inter, para continuar na Copa Sul-Americana.

Já o Grêmio chegou a 28 pontos no Brasileiro, quatro abaixo do Corinthians, quem menos pontuou entre os membros do G-4. Enquanto luta no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para não ser eliminado da Copa do Brasil por conta do racismo com Aranha, goleiro do Santos, o time volta a campo às 18h30 de sábado, visitando o Flamengo.

O jogo  

Luiz Felipe Scolari montou um Grêmio que povoasse o meio-campo, com movimentação e a chegada de Zé Roberto de trás, como lateral-esquerdo, para a bola chegar a Barcos. Parecia que a estratégia daria certo quando Fahel levou cartão amarelo por falta logo aos três minutos, mas o Bahia não esteve em Porto Alegre para se limitar a proteger sua defesa.

Incentivado seguidamente por Gilson Kleina do banco, o Bahia rapidamente adiantou a sua marcação e baseou suas jogadas ofensivas na habilidade de Emanuel Biancucchi, argentino que é primo de Messi e, neste domingo, contava com a velocidade de Rafinha e o posicionamento avançado de Diego Macedo para permitir que seu time frequentasse o campo adversário.

O centroavante Kieza, contudo, quase não encostava na bola. Embora conseguisse impor um ritmo rápido de troca de passes, o Bahia falhava quando se aproximava da área de Marcelo Grohe. Mas já era o suficiente para irritar Felipão e os outros gremistas presentes no estádio.

Contando praticamente só com Zé Roberto, os gaúchos tiveram a melhor chance do primeiro tempo, em lançamento que Barcos recebeu na esquerda e girou chutando rente ao ângulo direito de Marcelo Lomba, aos 17 minutos do primeiro tempo. Fora este lance, apenas chutes de longe sem nenhum risco para o goleiro adversário.

Alan Ruiz, uma das provas da falta de criação gremista, só virou titular por conta de lesão muscular de Luan e acabou saindo no intervalo. Scolari preferiu preencher seu meio-campo e contar com o ânimo do jovem Matheus Biteco para chegar com mais velocidade à grande área adversária. Também liberou Fellipe Bastos para aumentar a força ofensiva.

A medida demorou a convencer os gremistas que vaiaram o time no intervalo, mas a paciência na troca de passes deu resultado. Aos 13 minutos, Giuliano tabelou com Fellipe Bastos e cruzou na pequena área para Dudu, que desviou encobrindo Marcelo Lomba. O goleiro tentava se recuperar no lance quando Barcos jogou a bola nas redes já na linha do gol.

A abertura do placar, porém, marcou o fim do período criativo do meio-campo gremista. O time preferiu garantir os três pontos até catimbando, como ficou comprovado com as ordens de Felipão para que Matías Rodriguez simulasse dores e segurasse o jogo ao ser substituído por Pará.

Kleina, por sua vez, mandou o Bahia à frente, enchendo a equipe de atacantes para se aproveitar da falta de troca de passes dos gremistas, mas continuava pecando nas falhas dos seus jogadores. Acabou mais próximo de sofrer o segundo gol, em chute de Zé Roberto bem espalmado por Lomba, aos 32. Mas o Grêmio buscou tanto ampliar o placar, mais preocupado em garantir os três pontos reforçando a sua defesa.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 0 BAHIA

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 31 de agosto de 2014, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (Fifa-RJ)
Assistentes: Rodrigo Corrêa e Dibert Pedrosa Moisés (ambos do RJ)
Assistentes adicionais: Rodrigo Nunes de Sa e Daniel de Sousa Macedo (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Matías Rodriguez, Fellipe Bastos, Barcos e Ramiro (Grêmio); Fahel, Guilherme Santos e Kieza (Bahia)

Gol:
GRÊMIO:Barcos, aos 13 minutos do segundo tempo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Matías Rodríguez (Pará), Werley, Rhodolfo e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos, Alan Ruiz (Matheus Biteco), Giuliano e Dudu (Bressan); Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

BAHIA: Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Rafael Miranda, Diego Macedo (Maxi Biancucchi) e Emanuel Biancucchi (Pará); Rafinha (Rhayner) e Kieza
Técnico: Gílson Kleina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.