Tamanho do texto

Juventus segue como favorita e pode conquistar quarto título consecutivo. Roma e Napoli, perseguidores na última edição, devem seguir fortes e gigantes de Milão buscam reconstrução

Tricampeã italiana, a Juventus é de novo candidata a ficar com o título nacional
AP
Tricampeã italiana, a Juventus é de novo candidata a ficar com o título nacional

O que há em comum nas três últimas edições do Campeonato Italiano ? Além da Juventus campeã em ambas as temporadas, a falta de concorrentes ao título e o baixo nível técnico do torneio parecem ter se tornado regra e não exceção, fazendo com que a Serie A, uma das ligas de mais prestígio no mundo, já não goze da mesma qualidade de outrora.

Neste sábado, o Italiano dará sua largada para a temporada 2014/2015 e, mais uma vez, as principais novidades ou surpresas deverão ficar por conta de quem tenta perseguir a equipe de Turim, candidata ao tetracampeonato consecutivo - algo que o clube só conseguiu nos anos 30, culminando no penta do período de 1930 a 1935.

A grande baixa da Juventus para a nova edição da competição nacional foi a saída do técnico Antonio Conte. Comandante do tri, assumiu a seleção italiana após a demissão de Cesare Prandelli na Copa do Mundo. Para seu lugar, a diretoria apostou em Massimiliano Allegri, que apesar do título com o Milan em 2010/2011, tem trabalho contestado como treinador. Em relação ao elenco, o grupo é praticamente o mesmo do último campeonato. As duas incorporações mais importantes foram a do lateral-esquerdo francês Patrice Evra, ex-Manchester United, e do atacante espanhol Álvaro Morata, ex-Real Madrid. Contudo, motivo maior para comemorar são as permanências do volante chileno Vidal e de Pogba, que formam um poderoso trio de meio-campo ao lado do experiente Andrea Pirlo.

Na perseguição à Juventus aparecem Roma e Napoli , segundo e terceiro colocados, respectivamente, na temporada 2013/2014 da Serie A. O time da capital italiana se reforçou com boas peças, casos do lateral-esquerdo inglês Ashley Cole, do holandês polivalente Urby Emanuelson e o volante francês Adrien Rabiot, além do meia-atacante argentino Iturbe, destaque com o Hellas Verona na edição passada do Italiano. Já o clube de Nápoles não começou bem a temporada, perdendo para o Athletic Bilbao nos play-offs da Liga dos Campeões e ficando fora da fase de grupos do principal torneio da Europa. Entretanto, o Napoli é o atual campeão da Copa da Itália e tem condições de brigar, junto da Roma, para tentar impedir o tetra da Juventus.

Um pouco mais atrás em razão do momento de reconstrução pelo qual passam, Milan e Inter de Milão lutam para recuperar o protagonismo na Serie A. O primeiro, que perdeu Balotelli e Kaká e terá como técnico o ídolo Filippo Inzaghi, não conseguiu classificação para nenhuma competição europeia e poderá focar apenas no Italiano, enquanto a rival disputará a Liga Europa. A competição, porém, ainda não desperta grande interesse dos principais clubes europeus e no caso da Inter não deverá ser diferente. Ou seja, os dois gigantes de Milão brigarão não só pela supremacia em relação ao outro dentro da Seria A, mas também pelo retorno ao caminho das glórias. O Milan não levanta a taça desde 2011, enquanto a Inter, que perdeu Cambiasso e viu Javier Zanetti se aposentar ao final do último campeonato, não é campeã desde 2010.

Desprestigiada no âmbito internacional, a Serie A - e o futebol italiano em geral - não acena muito com a possibilidade de ter um roteiro diferente das últimas temporadas. O que foi a principal liga europeia dos anos 80 e 90 é hoje apenas uma caricatura daquele torneio de grandes craques e bom futebol. Nesse terreno enfraquecido, quem aproveita para mostrar sua força é a Juventus, tricampeã e favorita para o tetra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.