Tamanho do texto

Autor do primeiro gol da vitória por 2 a 1 sobre o Santos, meia foi exaltado pelos companheiros não só pelo desempenho no ataque, mas também por ter ajudado o time na marcação

Ganso comemora seu gol para o São Paulo no clássico contra o Santos
Moisés Nascimento/Agif/Gazeta Press
Ganso comemora seu gol para o São Paulo no clássico contra o Santos

As boas atuações do meia Paulo Henrique Ganso nas últimas partidas do São Paulo ressuscitaram as discussões sobre a convocação do jogador para a seleção brasileira. Autor do primeiro gol da vitória por 2 a 1 sobre o Santos, no último domingo, o jogador foi exaltado pelos companheiros não só pelo desempenho no ataque, mas também por ter ajudado o time sem a bola, na marcação.

"Ontem (domingo) o Ganso foi o melhor da partida, tanto ofensiva quanto defensivamente. Conseguiu desarmar várias jogadas", afirmou o volante Denilson, que destacou a mudança de mentalidade do ex-camisa 10, frequentemente cobrado pelo técnico Muricy Ramalho para ajudar o setor defensivo.

"Hoje, o jogador não pode jogar só com a bola. Tem que marcar também, ajudar".A evolução tática de Ganso sem as bolas é, na opinião do companheiro Denilson, fundamental para que o jogador seja lembrado pelo técnico Dunga nas próximas convocações da seleção.

"Ele (Ganso) está no caminho certo. Com a bola nos pés é fenomenal. Se ele continuar ajudando na marcação, não tenho dúvida de que voltará para a Seleção", completou Denilson.

Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Ganso desfalcará o São Paulo na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Figueirense, domingo, em Florianópolis. Em compensação, o jogador estará em campo nesta quinta-feira, quando o time abre sua participação na Copa Sul-Americana, diante do Criciúma, também na capital catarinense.

"Guerreiros" da defesa

A sequência de quatro vitórias consecutivas do São Paulo no Campeonato Brasileiro consolidou o quarteto ofensivo da equipe, formado por Ganso, Kaká, Pato e Alan Kardec. A desconfiança sobre o comprometimento dos quatro jogadores de ataque na marcação, uma das preocupações do técnico Muricy Ramalho, foi desfeita nas últimas partidas, em que meias e atacantes tricolores ajudaram o setor defensivo quando o time não tinha a bola.

"São jogadores extremamente maravilhosos (Kaká, Ganso, Pato e Kardec), mas temos que olhar um pouco para os guerreiros que estão lá atrás. O Paulo Miranda tem uma sequência muito boa, com firmeza atrás. Temos também o Toloi e o Edson Silva, que ficou um tempo sem jogar. Esses jogadores merecem ser olhados com carinho", disse Denilson

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.