Tamanho do texto

Advogado do centroavante disse que peruano estará nos compromissos da seleção no Catar e Emirados Árabes

No início de setembro, a seleção do Peru programou dois amistosos no Catar e nos Emirados Árabes, iniciando o planejamento para a Copa América de 2015. Na convocação, o técnico uruguaio Pablo Bengoechea relacionou o centroavante corintiano Paolo Guerrero, peça-chave na formação da equipe. Entretanto, após ver o atacante, em entrevista coletiva, recusar tal chamado, o comandante se reuniu com membros da federação local, que prepararam uma nota de repúdio contra o Corinthians.

Em tal escrito, os peruanos alegam que o clube paulistano tem influenciado Guerrero a abdicar da lista, já que disputam a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Inconformado, o secretário geral da FPF (Federação Peruana de Futebol), Javier Quintana, não poupou críticas aos dirigentes brasileiros.

"Sabemos que o Guerrero é bastante pressionado pelo clube. Constatamos isto em outras ocasiões. Porém, se ele não participa dos amistosos que são data Fifa, tampouco poderia defender o Corinthians. O regulamento internacional é claro neste sentido", disse, em entrevista ao Impacto Deportivo, da Rádio Ovación.

Entretanto, o advogado do camisa 9, Jorge Balbi, garantiu a presença de seu cliente nos compromissos diante de Iraque e Catar. "Paolo desmente que tenha renunciado à seleção. Ele está em um momento importante com a equipe brasileira, mas defenderá o Peru normalmente", enfatizou, ao periódico El Comercio.

O assessor de Guerrero garantiu que tudo não passou de interpretações erradas, e que o atleta sempre se doou para defender a seleção em todas as ocasiões. O primeiro amistoso, diante dos iraquianos, ocorre no dia 5 de setembro. O segundo, quatro dia depois.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.