Tamanho do texto

No lance em questão, logo depois de Raphael Claus frustrar um ataque do Corinthians barrando a passagem de Jadson, Petros corre na direção do juiz - e da bola - e o atinge pelas costas

Raphael Claus recebeu empurrão de Petros e adicionou na súmula do clássico
Divulgação
Raphael Claus recebeu empurrão de Petros e adicionou na súmula do clássico

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) acusou o meio-campista Petros de agressão ao árbitro Raphael Claus na vitória do Corinthians sobre o Santos, no último domingo. A denúncia foi protocolada pelo procurador Paulo Schmitt, mas o julgamento ainda não foi marcado.

Confira a classificação completa do Campeonato Brasileiro 2014

O texto aponta o jogador como infrator do artigo 254-A do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva): "Praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente". O parágrafo terceiro especifica que, "se a ação for praticada contra árbitros (...), a pena mínima será de suspensão por cento e oitenta dias".

O departamento jurídico do Corinthians defenderá inicialmente que a trombada entre Petros e Claus foi acidental, mas os advogados têm consciência de que inocentar o atleta é tarefa muito difícil. O objetivo mais plausível é caracterizar a infração como algo mais brando do que uma agressão.

A ideia é que Petros seja julgado com base no artigo 250 do CBJD, que fala em "praticar ato desleal ou hostil durante a partida, prova ou equivalente". Nesse caso, a pena estipulada no código esportivo é muito mais curta, de uma a três partidas de suspensão.

No lance em questão, logo depois de Raphael Claus frustrar um ataque do Corinthians barrando a passagem de Jadson, Petros corre na direção do juiz - e da bola - e o atinge pelas costas. O árbitro ignorou o lance em sua primeira versão da súmula, mas, diante da repercussão do caso, enviou um adendo, apontando, por meio de imagens de TV, que o choque foi premeditado pelo atleta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.