Tamanho do texto

Jogadores garantem que salários atrasados não prejudicam no desempenho do time. Eles estão há cinco meses sem receber

A diretoria do Botafogo não vem conseguindo pagar os salários dos jogadores, que não recebem há três meses e estão com cinco meses de direitos de imagem em aberto. O fato vem gerando preocupando os torcedores quanto ao futuro do time, que tem apenas 13 pontos e está seriamente ameaçado pelo risco de rebaixamento. Hoje, é o pior colocado fora da zona de queda. Apesar desta realidade, os atletas garantem que o time não vai disputar a Segunda Divisão em 2015.

Jogadores entram em campo com faixa em protesto contra os salários atrasados
Marcello Dias/Futura Press
Jogadores entram em campo com faixa em protesto contra os salários atrasados

“Existe um respeito muito grande de todos os jogadores pelo Botafogo e não acreditamos em rebaixamento. Sabemos que o Campeonato Brasileiro é uma competição muito longa e desgastante, que os times acabam jogando as partidas sempre equilibradas, mas temos potencial para não descermos para Série B. Estamos encarando cada partida como uma grande decisão”, disse o zagueiro Dória.

Um dos líderes do elenco, o zagueiro Bolívar pensa de maneira parecida. “Temos a consciência de que precisamos pontuar mais, pois um clube grande como o Botafogo precisa estar em uma situação um pouco melhor na tabela de classificação. Mas não estamos assustados com a proximidade da zona de rebaixamento, pois confiamos na qualidade do nosso time”, afirmou. “Temos jogadores experientes, com bagagem, acostumados a lidar com pressão e que estão focados apenas em tirar o time desta situação. Estamos conseguindo evoluir na competição e acredito que vamos subir na tabela o mais rapidamente possível”, acrescentou Bolívar.

O goleiro Jefferson, que defende o alvinegro há seis temporadas, é outro a tranquilizar os jogadores. “O Botafogo tem tudo para progredir na competição e melhorar ainda mais a sua pontuação. O time sabe que precisa de uma sequência positiva para que as coisas comecem a engrenar e vamos lutar por ela. Mas o nosso grupo conta com jogadores experientes, acostumados a lidar com diversas situações complicadas e vamos trabalhar muito para ajudar o clube”, disse o arqueiro.

Neste ambiente cada vez mais complicado que o time se prepara para a partida contra o Atlético-PR, prevista para este domingo, às 16h (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para este compromisso o técnico Vagner Mancini poderá contar com o retorno do volante Aírton, que cumpriu suspensão no empate por 1 a 1 com o Cruzeiro. Porém, o jogador não tem nenhuma garantia de que será titular, pois o desempenho da equipe contra a Raposa agradou demais ao treinador.

Já o meio-campista peruano Luís Ramirez fez seu primeiro treino com o elenco na quarta-feira e vem sendo elogiado por Mancini. A tendência é que ele seja relacionado para o jogo contra o Furacão, porém, isso só vai acontecer caso tenha a sua documentação regularizada na CBF até a próxima sexta-feira.

Fora de campo, a decisão sobre a inclusão do clube no Ato Trabalhista que seria julgada nesta quinta-feira passou para o dia 21. Assim, o Glorioso permanece com 100% de suas receitas bloqueadas na Justiça. Na próxima semana é possível que seja pago um dos meses em atraso por conta de liberação de verba por parte do Sindicato de Funcionários de Clubes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.