Tamanho do texto

Com gol de Rafael Moura, gaúchos venceram os paulistas, chegaram a 25 pontos e agora ocupam a 3ª posição na tabela

Rafael Moura comemora o gol da vitória do Inter sobre o Santos
Ramiro Furquim/Gazeta Press
Rafael Moura comemora o gol da vitória do Inter sobre o Santos

O Santos mais uma vez terminou a rodada fora do G4 do Campeonato Brasileiro . Em confronto direto contra o Internacional , o Peixe acabou derrotado por 1 a 0, no Beira-Rio, graças a gol de Rafael Moura. 

Muito movimentada, a partida teve duas expulsões. Paulão, pelo Colorado, e Mena, pelo alvinegro praiano, receberam os cartões vermelhos. Além disso, Leandro Damião, enfim, voltou a jogar após quase três meses fora dos gramados. E, logo contra seu ex-time, o camisa 9 desperdiçou uma grande chance de arrancar o empate para o Santos já nos acréscimos do segundo tempo.

Com a vitória, o Inter chega ao terceiro lugar na tabela, com 25 pontos, empatado com o Fluminense, que vendeu nesta domingo, mas fica com a vice-liderança pelo critério de desempate. Enquanto isso, o Peixe é o sexto, com 20 pontos, quatro a menos que o Corinthians, primeiro time da zona de classificação para a Libertadores de 2015.

Na próximo rodada, as duas equipes fazem clássico contra seus principais rivais. O Santos pega justamente o Timão, domingo, na Vila Belmiro. Já o Inter recebe o Grêmio no Baira-Rio, também no domingo.

O jogo - Dois times que primam pelo futebol bonito, esquemas ofensivos e um gramado rápido e em perfeito estado. Antes mesmo da bola rolar, já se esperava um grande jogo entre Internacional e Santos, no Beira-Rio. E foi o que aconteceu.

O time da casa começou o duelo partindo para cima com um envolvente toque de bola e pressionou o gol de Aranha nos primeiros 10 minutos. A melhor chance aconteceu após linda jogada individual de Alex pela esquerda. Juan cabeceou no ângulo, mas o camisa 1 do Peixe foi buscar e espalmou para escanteio.

O time de Oswaldo de Oliveira apostava na retomada da bola durante a saída de jogo do Inter para aproveitar o contra-ataque. E aos 13 quase chegou ao gol dessa maneira, mas Gabriel não conseguiu completar o cruzamento de Thiago Ribeiro.

O Santos pecava no último passe e desperdiçava boas oportunidades com a defesa gaúcha desarrumada. Enquanto isso, o Inter abusava do entrosamento e rondava, sempre com muito perigo, a meta adversária.

Aos 21, Alex arriscou de fora da área, Aranha voou, mas a bola saiu raspando a trave. Dois minutos depois, Wellington recebe linda enfiada de bola de D’Alessandro, invadiu a área pela direita e tocou no canto, acertando a trave.

O alvinegro respondeu aos 37, quando, novamente pela direita, Thiago Ribeiro cruzou rasteiro e viu Paulão fazer um corta luz bizarro no meio da área. Rildo chegou de surpresa no segundo pau e perdeu grande chance ao bater para fora.

O jogo era lá e cá, bem jogado. O Santos era pressionado, mas ao mesmo tempo perigoso e claramente preparado para contra-atacar. Já o Inter, tentava abrir o placar de todas as maneiras, mas falhava no momento decisivo.

Aos 43, Alan Patrick, após troca rápida de passes, finalizou de fora da área com perigo. E no último lance da primeira etapa, já nos acréscimos, após cobrança de falta que surgiu de uma linda caneta de D’Alessandro em cima de Mena, a bola mais uma vez explodiu no travessão de Aranha, depois do desvio de Cicinho.

Os jogadores foram para os vestiários mantendo o 0 a 0, mas com os aplausos da torcida após um bom jogo de futebol.A etapa complementar seguiu o ritmo frenético, mas com o Peixe melhor postado em campo. A conversa de Oswaldo de Oliveira com os jogadores surtiu efeito e o Inter pouco pegou na bola nos primeiros minutos. No entanto, o goleiro Dida era muito pouco exigido.

Lucas Lima chegou a colocar Rilso na cara do gol, mas o atacante do Peixe dominou mal a bola e, ao tentar salvar o lance, errou o cruzamento para Gabriel, que estava sozinho, embaixo da trave.

De repente, o clima ficou quente no Beira-Rio. Os jogadores do Inter forçavam as jogadas em cima de Mena, que estava pendurado com um cartão amarelo, mas acabaram exagerando.

Aos 10 minutos, o árbitro marcou um falta na lateral de campo, à favor do time mandante, mas Paulão, que havia recebido um amarelo poucos minutos antes, reclamou até ser expulso.

O inusitado é que após muita reclamação, a falta foi cobrada na área e Rafael Moura, sozinho, abriu o placar, de cabeça. A defesa santista, que só levara um gol nos últimos seis jogos, cometeu um grave erro de posicionamento no lance.

Com 1 a 0 e um homem a menos, os papéis se inverteram. O Colorado passou a apostar no contra-ataque e na força da torcida, enquanto o Peixe partia para cima em busca do empate.

Mas a vantagem numérica em campo durou pouco, já que Mena não resistiu muito e acabou sendo expulso também após frear o ataque do Inter com uma falta por trás.

Nem assim o Santos se intimidou. Aos 29, Lucas Lima quase empatou. O meia tabelou com Thiago Ribeiro na entrada da área e bateu forte. Dida espalmou e, sem querer, ligou o contra-ataque que terminou com o chute de Jorge Henrique para fora.

Com 10 contra 10, os espaços em campo apareciam e o técnico do Peixe partiu para o tudo ou nada, colocando Geuvânio e Leandro Damião. O camisa 9, fora de ação desde maio, voltava justamente contra seu ex-time.

E Damião acabou saindo como o vilão santista, pois perdeu uma chance clara de gol nos acréscimos do segundo tempo, gerando grande comemoração da torcida da casa.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 1 X 0 SANTOS

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 3 de agosto de 2014, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Público: 24.538 total
Renda: R$ 710.090,00

Cartões amarelos: Paulão, Fabrício e Jorge Henrique (Internacional). Lucas Lima e Mena (Santos).

Cartão vermelho: Paulão (Internacional); Mena (Santos).

Gols: INTERNACIONAL: Rafael Moura, aos 11 minutos do segundo tempo.

INTERNACIONAL: Dida; Wellington Silva, Paulão, Juan e Fabrício; Willians, Wellington, Alex (Ernando), D’Alessandro (Igor) e Alan Patrick (Jorge Henrique); Rafael Moura
Técnico: Abel Braga

SANTOS: Aranha; Cicinho, Bruno Uvini, David Bráz e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Rildo (Geuvânio), Thiago Ribeiro e Gabriel (Leandro Damião)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.