Tamanho do texto

Meia foi titular na partida contra a Fiorentina, no Pacaembu, e não se intimidou com a camisa do novo clube. Atuação rendeu elogios ao jogador de 19 anos

Allione vestiu a camisa 20 do Palmeiras no confronto contra a Fiorentina
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Allione vestiu a camisa 20 do Palmeiras no confronto contra a Fiorentina

Ricardo Gareca avisou, e a torcida do Palmeiras aprovou Agustín Lionel Allione. Estreante na vitória por 2 a 1 contra a Fiorentina, na noite da última quarta-feira, o meia de 19 anos demonstrou à vontade com a camisa do novo clube e arrancou até elogios do comandante. A atuação repercutiu no jornal argentino Olé .

Leia também:  STJD denuncia Corinthians e Palmeiras por não impedirem quebra de cadeiras

Allione foi escalado para a função ao lado direito do campo, enquanto Mendieta atuou mais centralizado. Apesar de ter sido a primeira partida, ele não se sentiu intimidado e arrancou bons dribles e boas jogadas na linha de fundo.

Allione fez a sua estreia com a camisa do Palmeiras diante da Fiorentina
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Allione fez a sua estreia com a camisa do Palmeiras diante da Fiorentina

"Eu pude ver Allione e o time. Ele é um jogador muito tranquilo, jovem e com muito futuro. A torcida do Palmeiras pode gostar dele, gostar da forma que ele joga", ressaltou o argentino.

Após a partida, o meia-campista revelou as palavras ditas pelo treinador antes e depois de a bola rolar no Pacaembu. "Ele me disse para jogar como sempre joguei, correndo atrás da bola, defendendo e atacando. Depois, ele me deu os parabéns por ter conseguido ter ido bem na partida", disse ele em contato com a reportagem do iG Esporte ainda no estádio.

Com a ajuda dos companheiros argentinos, como Tobio e Pablo Mouche, Allione tem aprendido algumas palavrinhas em português e já até compreende bem o idioma. Ele garante: já está se sentindo em casa. "Está fácil a adaptação. Eles (estrangeiros) estão me ajudando muito. São boas pessoas. Comecei muito bem, diante de um adversário difícil como a Fiorentina. Senti muito o apoio da torcida e isso nos ajuda para entrar melhor em campo", falou.

Questionado se sentiu a pressão por defender o Palmeiras, o meia foi direto. "Não senti. Eu tenho que agradecer os meus companheiros. Senti-me muito à vontade dentro de campo", resumiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas