Tamanho do texto

Treinador do Santos diz que as questões da política devem ser separadas do trabalho que faz a equipe na temporada

Oswaldo de Oliveira torce para que tensão fora de campo não seja transferida para o elenco
Getty Images
Oswaldo de Oliveira torce para que tensão fora de campo não seja transferida para o elenco

O Santos vive um de seus momentos mais conturbados politicamente. O ano foi marcado por diversas polêmicas, como a renuncia de Luis Álvaro Ribeiro, a troca de membros do Comitê Gestor e, agora, as denúncias de sócios fantasmas, que geraram até um desabafo emocionado do presidente Odílio Rodrigues, na última terça-feira, após o clube se defender e dizer que as fraudes foram planejadas por alguns opositores.

"Claro que tenho a preocupação. Fiz referência a isso na última coletiva, espero que não interfira no nosso trabalho. Claro que tudo o que está relacionado ao Santos é importante para nós, pois sempre tem interferência no nosso trabalho. Espero que não ocorra", disse o técnico Oswaldo de Oliveira, ao analisar o momento vivido fora das quatro linhas pelo clube.

O treinador garante que as divergências ainda não chegaram ao elenco, mas se mostra preocupado e torce para que as coisas sejam bem separadas por quem faz a política santista.

"Até o momento não senti nada. Acho até que nós temos tido, não sei se foi pela parada na Copa, pouca preocupação aqui, tranquilidade para trabalhar, espero que isso continue. É necessário que as pessoas que estão em disputa eleitoral tenham essa compreensão e olhem para o lado do time, daquilo que representa o Santos", afirmou.

Até o final do ano, o clima ainda pode piorar, já que as próximas eleições presidenciais estão marcadas para o dia 6 de dezembro. Época em que os campeonatos estarão em suas retas finais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.