Tamanho do texto

Equipe argentina enfrenta o Bolívar nesta quarta-feira, pelo jogo de volta da seminal da Libertadores

O San Lorenzo pode usar método pouco comum para minimizar os efeitos da atitude de La Paz, onde a equipe argentina enfrenta o Bolívar nesta quarta-feira, pelo jogo de volta da seminal da Libertadores . De acordo com o jornal Olé, o clube dará aos jogadores o viagra, famoso medicamento receitado para o tratamento da disfunção erétil.

Segundo a reportagem publicada pelo diário argentino nesta terça-feira, a intenção dos médicos do clube é que os atletas tenham os vasos dilatados e, por consequência, aumentem a oxigenação do sangue. A medida, de acordo com o Olé, não representaria qualquer tipo de problema para o exame antidoping. Segundo o jornal, as substâncias do viagra não estão listadas como proibidas pela Fifa.

Esta não seria a primeira vez que o San Lorenzo utiliza o medicamento na competição. O Olé garante que os jogadores da equipe sob efeito do viagra a partida contra o Independiente del Valle, na altitude de Quito, que terminou empatada em 1 a 1.

O San Lorenzo viaja à Bolívia com uma grande vantagem. No primeiro jogo, disputado semana passada em Buenos Aires, o time do Papa fez 5 a 0. Os argentinos chegarão à final mesmo se perderem por até quatro gols de diferença.

Palmeiras já cogitou uso do medicamento

Em 2009, antes do jogo contra o Real Potosí, na Bolívia, também pela Libertadores, o então preparador físico do Palmeiras, Antônio Mello, cogitou dar viagra aos jogadores do time paulista. Como o efeito do medicamento na altitude não era comprovado cientificamente, o uso do viagra foi descartado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.