Tamanho do texto

Técnico do Palmeiras tem início ruim e espera engrenar como assim foi no clube argentino, onde colecionou quatro títulos. Recém-contratado Allione já fala em ser ídolo no Brasil

Ricardo Gareca tem um início decepcionante no Palmeiras , mas seu começo no principal trabalho da carreira também não foi nada animador. Como ocorre agora no comando do clube paulista, o técnico só derrotou adversário de segunda divisão nacional em seus quatro primeiros jogos à frente do Vélez Sarsfield, clube argentino pelo qual conquistou quatro títulos em cinco anos.

O técnico argentino Ricardo Gareca  não está nada feliz com o desempenho do Palmeiras
Alexandre Schneider/Getty Images
O técnico argentino Ricardo Gareca não está nada feliz com o desempenho do Palmeiras

Gareca foi apresentado pelo Vélez em dezembro de 2008 já tentando afastar sua imagem de ex-jogador e torcedor assumido do time para as suas avaliações como treinador. Começou a trabalhar no clube em janeiro do ano seguinte e, após quatro jogos, só tinha vencido com o time principal em torneio amistoso.

Em 2009, antes dos compromissos oficiais, o comandante pôde testar sua equipe na Copa Ciudad de Córdoba. A competição era um triangular no qual Gareca estreou vencendo o Talleres, então na segunda divisão argentina, por 2 a 0. Mas perdeu do Lanús pelo mesmo placar.

Oito dias depois, começou o Torneio Clausura, versão do Campeonato Argentino no primeiro semestre. O Vélez de Gareca empatou sem gols na casa do Independiente e, como anfitrião, ficou no 1 a 1 contra o Argentinos Juniors. A primeira vitória do técnico contra um rival de primeira divisão ocorreu só na terceira rodada do Clausura, impondo 2 a 1 como visitante diante do Tigre.

A sequência do treinador no clube foi ainda melhor. O Vélez foi campeão naquele Clausura de 2009, conquistando seu primeiro título argentino após cinco anos, e ainda venceu o Clausura de 2011, o Apertura de 2012 e a Super Final do Argentino de 2012/2013, além de chegar a semifinais de Libertadores e de Copa Sul-americana até o treinador preferir não renovar seu contrato em dezembro de 2013.

Apesar da frustração semelhante, os números do início de Gareca no Palmeiras são piores. O argentino acumula três derrotas pelo Brasileiro, perdendo para Santos, Cruzeiro e Corinthians, e só venceu o Avaí, que disputa a Série B, pela Copa do Brasil. A partir do amistoso que faz parte da Copa EuroAmericana, contra a Fiorentina, nesta quarta-feira, no Pacaembu, a esperança palmeirense é que, agora, o seu sucesso no Vélez se repita.

Fã de D’Alessandro, Allione se anima com marcação de times no Brasil

Depois de uma conversa com Gareca, Agustín Allione, de apenas 19 anos, está animado com a oportunidade de jogar no futebol brasileiro. Fã de D’Alessandro, ídolo no Internacional, o meio-campista já fala em mostrar serviço ao comandante..

"O Gareca me disse que vou me adaptar porque o futebol brasileiro tem mais espaço para jogar. Assim, eu poderia mostrar mais do que tinha mostrado no Vélez", contou o novo camisa 20 do Verdão, avisando que não aceitou a proposta por conta das indicações do técnico porque só falou com o comandante após assinar contrato.

Mas as palavras do treinador que o lançou no Vélez o encheram de otimismo. "Pelo que o Ricardo me disse, a diferença é que no futebol argentino não tem tantos espaços quanto aqui, é mais forte, físico, joga-se de outra maneira. Os jogos no Brasil me agradam muito porque há mais liberdade e se pode mostrar mais."

"O futebol brasileiro tem muitos estrangeiros e aqui, no Palmeiras, somos seis. É algo positivo para todo o futebol da América do Sul. O futebol brasileiro é um dos mais lindos na América do Sul e do mundo. Vir para cá é um desafio e ver tantos jogadores de outros países em um futebol tão importante significa que todos estão trabalhando bem", analisou Allione.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.