Tamanho do texto

Clube do Pará alegou que adversário escalou quatro jogadores de maneira irregular para a decisão do torneio, em abril

Brasília venceu o Paysandu na final da Copa Verde, mas clube paraense ficou com o título
TARSO SARRAF/ Agif/Gazeta Press
Brasília venceu o Paysandu na final da Copa Verde, mas clube paraense ficou com o título

Na noite desta segunda-feira, mais um campeonato teve o seu desfecho alterado por decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Em julgamento realizado no Rio de Janeiro, a entidade condenou o Brasília por escalar quatro jogadores de forma irregular e repassou o título da Copa Verde para o Paysandu.

Após ser derrotado nos pênaltis para o time do Distrito Federal, no Estádio Mané Garrincha, o clube paraense fez uma queixa-crime, alegando que os atletas Fernando (lateral-direito), Índio (zagueiro), Gilmar (meia) e Igor (atacante) não estavam com os respectivos nomes publicados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF em tempo hábil. Entre os acusados, os três primeiros são titulares, ao passo que o último acabou relacionado apenas para a final.

Assim, no dia 18 de junho, Alessandro Kioshi Kishino, procurador-geral do STJD, fez a denúncia oficial ao Tribunal, que agendou o julgamento para o período pós-Copa do Mundo. Entretanto, por causa de documentações apresentadas pelo Brasília, o julgamento foi remarcado para esta data.

Neste ínterim, o clube da capital federal acabou absolvido, em documento assinado por Luiz Gustavo Vieira de Castro (diretor de Registro e Transferências da CBF) ao auditor da 1ª Comissão Disciplinar do STJD, Felipe Bevilácqua. O ofício expõe que os jogadores "tiveram as respectivas prorrogações de seus contratos de trabalho regularmente registrados". Assim, a ausência no BID havia ocorrido por um erro no site. Entretanto, a documentação não foi suficiente para manter a decisão. Com tais provas, é esperado que o Brasília recorra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas