Tamanho do texto

Meia argentino fez sua primeira aparição no novo clube um dia após a derrota alviverde para o rival Corinthians no clássico

Allione é apresentado no Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
Allione é apresentado no Palmeiras

No dia seguinte à derrota para o Corinthians, Paulo Nobre, em evento da CBF no Rio de Janeiro, não pôde estar presente na única atividade envolvendo profissionais do Palmeiras nesta segunda-feira. Coube então ao vice-presidente Maurício Galiotte apresentar mais um argentino que não poupou elogios ao Verdão.

Nesta noite, Agustín Allione, aos 19 anos, vestiu o uniforme da agremiação que considera a maior do País. "É um dia triste porque perdemos um clássico tão importante. Não é um dia nada lindo. Mas, para mim, é especial porque começo a jogar no maior clube do Brasil. Mas também estou triste pela derrota de ontem."

Palmeiras terá de arcar com R$ 45 mil após cadeiras quebradas em Itaquera

Meio-campista que joga aberto pela direita, o jovem formado no Vélez Sarsfield chega sob indicação de Ricardo Gareca para usar o número 20 do Verdão. Assinou contrato de cinco anos e ouviu de Galiotte o mesmo que Nobre falaria se estivesse presente: "Honre essa camisa". A esperança é de que siga a frase na prática melhor do que quem já tem entrado em campo.

"Não sei se o momento é difícil. Os resultados não são bons, mas é um momento de adaptação para um técnico novo, para aprender a nova filosofia de jogo e a forma de jogo. Agora, com o passar das partidas, temos que encontrar o rumo que estamos buscando", apostou Allione, disposto a usar sua alegria para melhorar a situação do time que acumula três derrotas seguidas pelo Brasileiro.

Bom Senso FC fortalece vínculo com Dilma e atua para democratizar a CBF

"Estou muito feliz por fazer parte de uma instituição tão grande como o Palmeiras. Espero ajudar a equipe em tudo que puder e fazer história no clube", afirmou, dizendo-se frustrado por não ter participado do Derby, mas animado para o amistoso diante da Fiorentina, nesta quarta-feira, e para encarar o Bahia no domingo, também no Pacaembu, pelo Brasileiro.

"A vontade era jogar contra o Corinthians. Por falta de sorte, não deu tempo por conta da documentação, mas eu queria participar de um clássico tão importante. Agora, quero jogar contra a Fiorentina e ficar à disposição para domingo. A decisão é do técnico", falou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas