Tamanho do texto

Torcedores provocaram os rivais com uma canção em alusão à Série B ao ato lamentável de violência ocorrido há dois anos

Como o jogo não foi às 22h, os torcedores do Corinthians deixaram o estádio de Itaquera sem a menor pressa após a vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras. Boa parte do público permaneceu no estádio por ao menos dez minutos, provocando os visitantes, obrigados a se manter em seu setor por pouco mais de meia hora.

Torcida do Corinthians provocou o rival após a vitória por 2 a 0
Friedemann Vogel/Getty Images
Torcida do Corinthians provocou o rival após a vitória por 2 a 0

Leia também:  Com gols de Guerrero e Petros, Corinthians bate o Palmeiras no Itaquerão

"Porcada, diz como é que é jogar na casa do Timão. Mundial você não tem, você não conseguiu, você não vive sem a Série B", cantaram os alvinegros, especialmente os que assistiram ao Dérbi no setor norte, reservado às organizadas, auxiliados por parte do setor leste.

Palmeirenses quebram cadeiras do setor visitante e dão prejuízo ao próprio clube

Outros cantos foram mais agressivos. Repetindo o que já haviam feito no intervalo, corintianos gritaram "é Inajar". Trata-se de uma referência ao confronto ocorrido em 2012, na avenida Inajar de Souza, na zona norte de São Paulo. O palmeirense André Alves, conhecido como Lezo, foi atingido por um tiro na cabeça e morreu.

Petros realiza sonho, decide clássico e tira o chapéu para a torcida corintiana

Abatidos com a derrota, os palmeirenses não rebateram os gritos, liberados para sair da arena da zona leste pouco depois. Deixaram para trás muitas cadeiras quebradas em sua primeira visita ao local. Também foram quebradas algumas cadeiras do lado corintiano, embora em número bastante menor.

Mano valoriza atuação e diz estar contente com consistência do Corinthians

Cânticos violentos à parte, não houve registro de maiores incidentes até o final do primeiro Dérbi de Itaquera. Existia uma grande preocupação em relação à chegada dos torcedores do Palmeiras, mas funcionou o esquema determinado pela Polícia Militar, com desembarque na estação Dom Bosco da CPTM.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.