Tamanho do texto

Paulo Lopes diz que o "clube está levando" as dificuldades financeiras e espera fechar patrocínio com a Caixa

O Goiás parece ter melhorado financeiramente e as coisas têm sido bem administradas pela diretoria fora de campo. Porém, as únicas quatro vitórias conquistas pelo time nas 11 rodadas do Campeonato Brasileiro disputadas até aqui incomodam o vice-presidente Paulo Lopes, que espera jogadores empenhados dentro de campo nos próximos compromissos. Neste domingo, às 16 horas (de Brasília), no Serra Dourada, o adversário é o São Paulo.

"É claro que, por tudo o que fizemos nesses últimos anos, chegar em 10ª lugar com 17 pontos nos preocupa. Eu torço para que essa situação seja revertida. Mas, para isso, dependemos apenas dos jogadores, somente dentro de campo é que isso pode acontecer. Administrativamente e financeiramente estamos levando, agora a questão é no campo", disse à Rádio 730 , de Goiás.

Na mesma linha de raciocínio do presidente em exercício Sérgio Rassi, Paulo Lopes acredita que tudo sairá bem se cada um fizer direito seu papel.  "Todo mundo tem que fazer sua parte. Fora dos gramados nós estamos fazendo, de maneira árdua, muitas vezes tirando da onde nem existe, dando o máximo para a equipe, agora cabe ao jogador fazer a parte dele e marcar gols. Espero que o time reencontre o caminho do gol nessa partida e as coisas se ajeitem", projetou.

Rassi assumiu o cargo em janeiro e, de lá para cá, Lopes garante que todas as contas foram acertadas. Ele agora espera fechar um acordo de patrocínio com a Caixa e sanar de vez qualquer pendência financeira.

"Chegamos em julho com todas as contas em dia, já estamos atrás das certidões negativas para fazer um acordo com a Caixa, ou seja, a parte financeira a gente está correndo atrás. Montamos uma comissão técnica capacitada, com condições de trabalho iguais às dos grandes brasileiros, mas o produto final é o gol, isso tem que sair", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.