Tamanho do texto

Rildo, Gabriel e Diego Cardoso balançaram as redes na vitória por 3 a 0 na Vila Belmiro e ajudaram o time assumir o posto do rival Corinthians, que joga neste domingo contra o Palmeiras

Por dois gols, o Santos é o novo vice-líder do Campeonato Brasileiro, posto que antes do início da 12ª rodada pertencia ao Corinthians. Os gols a mais foram o segundo e o terceiro na vitória por 3 a 0 sobre a Chapecoense, na noite deste sábado, na Vila Belmiro. Depois de Rildo abrir o placar logo aos 12 minutos do primeiro tempo, Gabriel ampliou a vantagem pouco depois do intervalo, e Diego Cardoso fechou a conta.

Rildo comemora o primeiro gol do Santos contra a Chapecoense, na Vila Belmiro
Guilherme Dionízio/Gazeta Press
Rildo comemora o primeiro gol do Santos contra a Chapecoense, na Vila Belmiro

Confira a tabela completa do Campeonato Brasileiro

Homenageado antes do apito inicial pela marca de 100 jogos com a camisa alvinegra, o goleiro Aranha foi ameaçado somente duas vezes com perigo - e fez jus à homenagem da diretoria, com boas defesas. Por outro lado, apesar do resultado positivo (que o levou aos mesmos 20 pontos do Corinthians) e da eficiência provada pelo placar, o Santos também não teve atuação de encher os olhos. Nem mesmo depois de a Chapecoense (que se mantém com 11 pontos) passar a se lançar mais à frente.

O próximo compromisso do Santos pela competição será visitar o Internacional, no Beira-Rio, no domingo, mesmo dia em que a Chapecoense recebe o Flamengo, na Arena Condá. Mas, antes disso, a equipe joga pela Copa do Brasil, na quinta-feira, contra o Londrina, fora de casa.

Neste sábado, vindo de derrota para o Fluminense, o time treinado por Oswaldo Oliveira entrava em campo com a obrigação mandante de vencer uma equipe que luta contra as posições de baixo da tabela, mas que havia obtido surpreende vitória sobre o São Paulo, em pleno Morumbi, na rodada passada. Para evitar que isso se repetisse na Vila Belmiro, onde está invicto na temporada, o Santos contava principalmente com os gols de Thiago Ribeiro.

Recuperado de estiramento no joelho esquerdo, o atacante voltou a ser escalado como titular, mas não se destacou na primeira etapa. Nem tanto pela falta de ritmo de jogo, mas porque foi pouco acionado. Precisou se distanciar do gol adversário muitas vezes para assumir a criação das jogadas e, mesmo assim, não tinha companhia à altura para chegar à área com qualidade. Apesar disso, o Santos abriu o placar cedo.

Aos 12 minutos, após seguidas tentativas sem sucesso da defesa da Chapecoense de tirar a bola de dentro da área, ela sobrou para Rildo, que chutou de primeira, entre o goleiro e a trave direita, para vazar o goleiro Danilo. Um gol que poderia facilitar o desempenho dos donos da casa, já que a equipe catarinense teria que abdicar da estratégia defensiva para buscar o empate.

A Chapecoense passou, de fato, a sair mais para o campo de ataque, mas os espaços oferecidos não foram aproveitados pelo Santos. Em alguns momentos, principalmente em jogadas de bola parada, a torcida passou aperto, inclusive. O empate quase veio aos 31 minutos, quando Abuda (que havia acabado de substituir Ricardo Conceição, lesionado) recebeu bola na entrada da área, girou e bateu rasteiro. O chute, porém, saiu torto, à esquerda da meta de Aranha.

No único contragolpe bem encaixado, aos 41 minutos, o lateral esquerdo Mena conseguiu estragar a jogada. Ao receber de Lucas Lima dentro da área, devolveu errado, para reclamação dos torcedores, que ainda viram o atacante Bruno Rangel assustar Aranha com um bom desvio de cabeça. A jogada da Chapecoense, no entanto, foi paralisada devido a impedimento.

Na volta do intervalo, o goleiro santista efetivamente trabalhou pela primeira vez. Aos três minutos, Dedé aproveitou rebote em chute de Camilo e, a poucos metros do gol, finalizou cruzado, com muita força. Aranha saltou para o lado direito e espalmou, evitando o empate.

O susto seguinte foi ver Thiago Ribeiro cair após dividida, queixando-se de dores no joelho esquerdo e mancando. Mas o atacante pediu para retornar a campo e, ainda aos seis minutos, provou estar bem. Correu muito para alcançar lançamento de Bruno Uvini vindo do meio-campo e, da linha de fundo, cruzou rasteiro para Gabriel completar para a rede e ampliar a vantagem santista no placar.

Sem outra alternativa, a Chapecoense abandonou completamente seu campo. Aos 18 minutos, Abuda invadiu a área e chutou cruzado, para nova bela defesa de Aranha, bastante parecida com a anterior. Defesa que, juntamente com um terceiro gol - marcado por Diego Cardoso aos 35 minutos, após outra assistência de Thiago Ribeiro -, garantiu o Santos à frente do Corinthians na tabela. Ao menos até o rival ir a campo neste domingo, diante do Palmeiras, em Itaquera.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 x 0 CHAPECOENSE

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 26 de julho de 2014 (sábado)
Horário : 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ-FIFA)
Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Cartões amarelos: David Braz, Alison (Santos); Rodrigo Biro (Chapecoense)

Gols: SANTOS: Rildo, aos 12 minutos do primeiro tempo; Gabriel, aos seis minutos do segundo tempo, e Diego Cardoso, aos 35 minutos do segundo tempo

SANTOS: Aranha; Cicinho, Bruno Uvini, David Braz e Mena; Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Geuvânio), Rildo (Diego Cardoso) e Gabriel
Técnico: Oswaldo de Oliveira

CHAPECOENSE: Danilo; Fabiano, Rafael Lima, Jailton e Rodrigo Biro; Wanderson, Dedé, Ricardo Conceição (Abuda) e Nenén (Zezinho); Camilo (Leandro) e Bruno Rangel
Técnico : Celso Rodrigues

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas