Tamanho do texto

"Já joguei Boca x River, Independiente x Racing, Brasil x Argentina. Tenho experiência e vivência do que significa um clássico como treinador e jogador", disse o palmeirense

Com seu filho mais novo e a esposa em São Paulo, Ricardo Gareca já se sente à vontade na cidade, elogiando bastante a gastronomia paulistana e nem se incomoda com o trânsito. Essa convivência é tão próxima que se torna suficiente para o técnico do Palmeiras sentir o significado de um clássico como o deste domingo contra o Corinthians , às 16h, em Itaquera, pelo Brasileirão.

"Vai ser muito importante. Estou vivendo algo muito bom e dou valor para as coisas importantes que tenho conseguido. Viver esse clássico como treinador é uma das coisas mais importantes da minha carreira", definiu o ex-atacante de 56 anos e que virou técnico há 18 anos.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Em campo, Gareca atuou por Boca Juniors, River Plate, Vélez Sarsfield e Independiente, e pela seleção argentina fez o gol da classificação do país para a Copa do Mundo de 1986, mas não participou da conquista do Mundial marcado pelas atuações de Maradona. Como técnico desde 1996, chamou atenção ao comandar a ressurreição do Vélez entre 2009 e 2013 com três títulos.

Leia mais: Gareca exige Palmeiras protagonista mesmo no estádio do Corinthians

Mesmo com esse currículo, se sente orgulhoso por fazer parte de um Palmeiras x Corinthians. "É diferente. Sinto como é uma partida diferente não só para mim, mas também para jogadores, torcida e todos os envolvidos no futebol", comentou, até descartando a comparação que tinha feito anteriormente aos duelos contra Santos e Cruzeiro.

Mas a sensação não significa total novidade neste cenário para o argentino. "Já joguei Boca x River, Independiente x Racing, Brasil x Argentina. Tenho experiência e vivência do que significa um clássico como treinador e jogador. São partidas diferentes para todos que a vivem", informou.

Mais do que o valor de enfrentar um arquirrival, Gareca valoriza a camisa que veste no momento. "É uma motivação sempre dirigir o Palmeiras, ser treinador do Palmeiras. O rival tem a importância do clássico, mas a minha motivação é dirigir o Palmeiras", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.