Tamanho do texto

Brincadeira à parte, técnico reforça apelo para que o horário de funcionamento do transporte seja ampliado em dias de jogo

Mano Menezes, técnico do Corinthians
MIGUEL SCHINCARIOL / Gazeta Press
Mano Menezes, técnico do Corinthians

A atenção gerada pelo primeiro jogo em Itaquera às 22h, na última quarta-feira, escancarou os problemas que o horário causa para o público em qualquer estádio. Vários torcedores foram ao metrô antes do fim da partida do Corinthians contra o Bahia e não viram quando Renato Augusto fechou o placar, aos 44 minutos.

"Eu até pedi para a gente fazer mais gols no primeiro tempo em função disso", sorriu o técnico Mano Menezes, que viu seu time criar muitas chances e abrir dois gols de vantagem até o intervalo. Na etapa final, adotou um ritmo lento até - com parte da torcida já a caminho de casa - dar números finais ao triunfo.

Brincadeira à parte, Mano ampliou o coro para um funcionamento do metrô até mais tarde. Ele recordou que as dificuldades impostas ao torcedor nos jogos iniciados após a novela são apenas parte do problema gerado pelo fechamento das estações pouco após a meia-noite.

"É provável que uma companhia como o Metrô tenha seus problemas de horas de trabalho, de manutenção. Mas é bem provável que São Paulo, como metrópole, logo, logo, vá ter que ter o metrô funcionando um pouco além do horário", comentou o gaúcho.

"É assim nas grandes metrópoles do mundo. E isso acontece não especificamente para o futebol mas para toda a população que trabalha e precisa do transporte. A gente precisa entender que São Paulo é uma metrópole e que tem outros problemas a resolver, não só ligados ao futebol", concluiu o treinador.

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, marcou para a próxima terça-feira uma reunião com o governador do Estado, Geraldo Alckmin. A pauta do encontro é justamente a questão do transporte público em dias de jogo com início após a novela das nove da TV Globo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.