Tamanho do texto

Técnico diz que atacante precisa focar na questão coletiva para voltar a ter mais chances na equipe. Contra o Goiás, será banco

Pato vem amargando a reserva no São Paulo e Muricy cobrou reação do atacante
Mauro Horita/Agif/Gazeta Press
Pato vem amargando a reserva no São Paulo e Muricy cobrou reação do atacante

O técnico Muricy Ramalho deixou claro que Alexandre Pato precisa mudar o pensamento para voltar a ter mais chances no São Paulo . Com o atacante mantido no banco de reservas para a partida contra o Goiás , no domingo, o treinador afirmou que sabe do talento do atleta, mas quer uma doação para o lado coletivo.

"Eu o conheci muito pequeno no Inter e já era um talento, sempre foi. Mas claro que jogador não pode hoje ser só talento, tivemos um grande exemplo na Copa, com grandes jogadores trabalhando para o time. Ele tem que pensar nisso também. O lado individual é importante, mas tem de pensar no time, com jogador correndo 12 ou 13 quilômetros. Hoje, é importante para o cara trabalhar com e sem a bola. Ele tem de entender isso", afirmou.

Emprestado pelo Corinthians ao São Paulo, Pato chegou com grande expectativa ao Morumbi, mas perdeu espaço com Muricy Ramalho e atualmente amarga a reserva de Ademilson. Até a rodada passada do Brasileirão, o time vinha sendo escalado com três atacantes, sendo dois abertos pelos lados do campo e um centralizado.

Mesmo com tantas vagas na frente, Muricy sempre deixou claro que Pato não tem as características para jogar pelos lados, já que nesta função é preciso ajudar na marcação. Com isso, Osvaldo e Ademilson vinham ocupando a função, enquanto Kardec se fixou como centroavante.

Para este fim de semana, Muricy alterou o esquema tático da equipe, deixando de jogar com três atacantes para colocar Kaká no meio-campo. Agora, com uma dupla de ataque, o técnico explica que Pato pode passar a ter mais chances, porque a função é diferente, mas precisa mostrar que tem condições de desbancar Ademilson, escolhido como parceiro de Kardec.

"Ele passa (a ter mais chance), desde que tenha movimentação. Não podemos ter dois jogadores parecidos, precisa se movimentar, e é isso que o Ademilson faz, pois abre, fecha e confunde o adversário", acrescentou.

O que o treinador deixa claro é que Ademilson seguirá no time enquanto se mostrar mais útil do que o badalado concorrente. "Aqui, a gente pensa dessa maneira, não tenho preferência, coloco o que for melhor para o time. Se tem nome ou não, não faz a menor diferença, por isso que existe um respeito muito grande entre eles, senão nossos meninos não vão ter chance nunca. Vai jogar o melhor para o time", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas