Tamanho do texto

Lanús venceu por 3 a 2 no tempo normal, mas a equipe de Levir Culpi conseguiu a virada no tempo extra e fez 4 a 3

Diego Tardelli marcou, diante do Lanús, seu centésimo gol pelo Atlético-MG
Bruno Magalhaes/AP
Diego Tardelli marcou, diante do Lanús, seu centésimo gol pelo Atlético-MG

A torcida do Atlético-MG costuma dizer que as coisas sempre são mais difíceis para o clube, e o jogo desta quarta-feira, contra o Lanús, no Mineirão, mostrou exatamente isso. Brasileiros e argentinos fizeram um duelo eletrizante na decisão do título da Recopa. Nos 90 minutos, vitória do Lanús por 3 a 2, placar que levou à decisão para a prorrogação, já que o Galo venceu a partida de ida por 1 a 0. No tempo extra, os atleticanos chegaram novamente ao empate e a incrível vitória por 4 a 3.

O Atlético-MG saiu na frente com um gol histórico de Tardelli cobrando pênalti no centésimo dele pelo time mineiro. A virada do Lanús veio ainda no primeiro tempo, com Ayala e Santiago Silva. O Galo sentiu os gols argentinos e só no fim da etapa inicial conseguiu o empate com Maicosuel. Nos acréscimos do segundo tempo, Acosta recolocou os visitantes à frente no marcador. Na prorrogação, Luan se tornou o herói dos atleticanos ao empatar o duelo, que virou festa total com o gol contra de Ayala.

Capitão Leonardo Silva ergue a taça de campeão da Recopa para o Atlético-MG
Bruno Magalhaes/AP
Capitão Leonardo Silva ergue a taça de campeão da Recopa para o Atlético-MG


Curiosamente, a partida que começou na quarta-feira, só terminou na quinta, dia 24 de julho. A data é simbólica, porque exatamente há um ano o Atlético-MG conquistava a Libertadores pela primeira vez, em uma final também dramática contra os paraguaios do Olimpia no Gigante da Pampulha.

Os jogadores do Atlético-MG terão pouco tempo para curtir o título da Recopa já que no domingo, o clube já terá compromisso pelo Campeonato Brasileiro, enfrentando o Sport, na Ilha do Retiro. O Galo ocupa a 11º posição na competição nacional e também quer brigar pelo título nacional.

O jogo

Atuando no Mineirão lotado, o Atlético-MG partiu logo para cima dos argentinos, e aos cincos minutos, Ronaldinho cobrou escanteio pela direita, Leonardo Silva desviou de cabeça e o zagueiro do Lanús meteu a mão na bola, o árbitro uruguaio Roberto Silvera não titubeou e marcou pênalti para o Galo. Ronaldinho Gaúcho permitiu que Tardelli fizesse a cobrança, e ele não decepcionou.

Tardelli deslocou o goleiro Marchesín e levou a torcida atleticana à loucura com um gol histórico, já que representou o tento de número 100 de Tardelli com a camisa do Galo. Os alvinegros ainda comemoravam quando aos oito minutos a defesa atleticana vacilou e deixou Ayala livre para empatar o jogo no Gigante da Pampulha.

O clima de festa dos torcedores nas cadeiras Mineirão diminuiu em intensidade com o empate argentino. Assim como o público, o time brasileiro também pisou no freio, permitindo o crescimento do Lanús na partida. A beira do gramado, o técnico Levir Culpi tentou acalmar os comandados, que passaram a errar algumas jogadas simples, colocando o setor defensivo em risco.

Emerson Conceição tenta passar pela marcação de Araujo na final da Recopa
Bruno Magalhaes/AP
Emerson Conceição tenta passar pela marcação de Araujo na final da Recopa

Precisando da vitória a qualquer custo, os visitantes não se limitaram a ficar no campo de defesa, e buscaram agredir o Atlético-MG, postura que aparentemente surpreendeu o Galo, que demorou um pouco a entender a dinâmica da partida e tomou a virada aos 25 minutos. Após cobrança de falta cruzada para a área, Victor fez a defesa, mas deixou o rebote nos pés de Santiago Silva que empurrou para as redes.

O gol do Lanús silenciou o Mineirão por alguns instantes, mas logo a torcida voltou a apoiar a equipe, e o time acordou, retomando o controle do confronto. Aos 37, o empate saiu com Maicosuel, que antecipou a marcação argentina e completou cruzamento perfeito de Marcos Rocha desviando com o pé direito. Antes do intervalo, o avante Jô ainda teve a chance de marcar o terceiro, mas Marchesín fez grande defesa.

Tradicionalmente as equipes da Argentina não costumam desistir fácil de uma batalha, e foi exatamente isso que o Lanús fez no Mineirão. O time do técnico Schelotto voltou para a etapa final disposto a buscar o resultado, gerando um grande jogo em BH. As chances surgiram para os dois lados, com o Atlético-MG tendo as oportunidades mais claras.

Toques rápidos, explorando as laterais do campo foram as armas usadas pelos visitantes, que deram trabalho para o Galo. Várias bolas foram levantadas para a área alvinegra, procurando principalmente o avante Santiago Silva. Em alguns momentos, os argentinos chegaram a acuar o Galo no campo de defesa.

Percebendo a instabilidade da equipe, Levir Culpi foi obrigado a mexer no time, sacando Ronaldinho Gaúcho, que foi discreto no jogo, para entrada de Luan, recuando Tardelli para a armação das jogadas. Com o passar do tempo, a tensão foi tomando conta dos atletas, e a partida ficou nervosa, com muitas faltas, discussões e reclamações.

A pressão do Lanús foi grande até o fim do jogo, e como prêmio, os argentinos chegaram ao terceiro gol aos 49 minutos do segundo tempo. Acosta foi o responsável por levar a decisão da Recopa para a prorrogação, gerando um drama para os atleticanos no Mineirão.

No tempo adicional, o confronto entre brasileiros e argentinos seguiu com as duas equipes perseguindo a vitória. Aos 12 minutos Luan foi à linha de fundo e tentou o cruzamento para a área, a bola desviou em Gómez e foi morrer nas redes de Marchesín, levando a torcida à loucura no Gigante da Pampulha. No segundo tempo da prorrogação, Ayala decretou o título do Galo ao tentar um recuo e marcar contra, fazendo em fim o grito de campeão ecoar no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 4 X 3 LANÚS

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 23 de julho de 2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silvera (URU)
Assistentes: Miguel A. Nievas e Nicolas Taran (ambos do Uruguai)
Público: 54.786 torcedores
Cartões amarelos: (Atlético-MG) Tardelli, Pierre, Réver, Leandro Donizete (Lanús) Ayala , Somoza, Acosta, González, Braghieri, Gómez
Cartão vermelho: (Lanús) Acosta
Gols: Atlético-MG: Tardelli, aos seis, e Maicosuel, aos 37 minutos do primeiro tempo; Luan, aos 12 minutos do primeiro tempo da prorrogação, e Ayala, contra, aos sete minutos do segundo tempo da prorrogação
Lanús: Ayala, aos oitos, e Santiago Silva, aos 25 minutos do primeiro tempo; Acosta, aos 49 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Emerson Conceição; Pierre, Leandro Donizete, Maicosuel (Guilherme) e Ronaldinho (Luan); Tardelli (Dátolo) e Jô
Técnico: Levir Culpi

LANÚS: Marchesín; Araújo (Melano), Gómez (Benitez), Braghieri e Velázquez; González, Somoza, Ayala e Ortiz (Pasquini); Santiago Silva e Acosta
Técnico: Schelotto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.