Tamanho do texto

Em 2010, treinador assumiu também com a missão de evitar o rebaixamento e teve um aproveitamento que, na condição atual, não bastaria para salvar a equipe carioca

Luxemburgo em 2010: rebaixamento à vista
Gazeta Press
Luxemburgo em 2010: rebaixamento à vista

Vanderlei Luxemburgo assumiu o comando do Flamengo  nesta quarta-feira, em substituição ao demitido Ney Franco. Será a quarta passagem pelo clube como treinador, e a missão é a mesma de 2010, quando assumiu o cargo pela última vez: evitar o rebaixamento. Na ocasião, conseguiu, mas sem nenhum brilho. E, caso repita em 2014 aquele desempenho, o resultado tende a ser catastrófico.

Na passagem anterior, Luxemburgo chegou ao Flamengo no dia 5 de outubro, para substituir Silas. O time, então, ocupava a 15ª colocação com 30 pontos, quatro acima da zona de rebaixamento. O aproveitamento era de 37,03%. Ao fim do Brasileirão daquele ano, o Flamengo de Luxemburgo tinha 44 pontos, ocupava a 14ª posição e havia conseguido se manter na Série A.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Em 2010, os números melhoraram com Luxemburgo: 14 pontos em 11 jogos, aproveitamento de 42,4%. O problema é que o Flamengo de 2014 está em situação bem pior: sete pontos em 11 jogos, aproveitamento de 21,2%. Se Luxemburgo repetir o desempenho de quatro anos atrás, somará mais 34 pontos e chegará aos 41. Provavelmente será rebaixado.

O Brasileirão de pontos corridos tem 20 times desde 2006, e somente naquela edição um time escaparia da degola com 41 pontos. Então, a Ponte Preta foi a primeira na zona de rebaixamento, o 17º lugar, com 39 pontos. Nos anos seguintes, quem mais chegou perto da marca foram o Atlético-PR, em 2011, e o Sport, em 2012. Ambos foram rebaixados em 17º lugar justamente com 41 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.