Tamanho do texto

Linhas de trem e metrô que dão acesso ao estádio não têm horário alterado, gerando dúvida nos torcedores sobre o caminho de volta após a partida contra o Bahia

O jogo desta quarta-feira contra o Bahia, válido pela terceira fase da Copa do Brasil , acabou impondo um desafio a quem resolveu aparecer na Arena Corinthians . Pela primeira vez desde que foi inaugurado, o estádio em Itaquera recebeu uma partida do clube com início marcado para as 22h (de Brasília), situação que dificulta bastante a volta para casa dos torcedores. 

Isso acontece por causa do horário de funcionamento das linhas de trêm e metrô que dão acesso ao local, que não tiveram modificação alguma. Em contato com o iG Esporte , a assessoria de imprensa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou que os últimos trens nas estações têm partida prevista para 0h19 e alegou que é "tempo suficiente para os torcedores embarcarem".

O bancário Bruno Barreiro, de 30 anos, não concorda. "Em dias de jogos neste horário, a CPTM deveria estender o funcionamento até 1h, pelo menos. É complicado, a gente tem muito pouco tempo para ir embora", observou. "Eu vou ficar até o fim de qualquer jeito. Se não der tempo, pego um táxi até onde meu carro está", completou o torcedor, que deixou o veículo perto da estação Carrão -- seis antes de Corinthians-Itaquera, que dá acesso ao estádio.

Barreiro foi ao jogo acompanhado do também bancário Cássio Fernandes, de 34 anos. Ambos visitaram o Itaquerão pela primeira vez, e a experiência será determinante para eles julgarem se voltarão mais vezes. Pelo menos em partidas marcadas para as 22h. "Hoje é um teste para nós. Se der certo, voltaremos sem problemas. Se não, pensaremos duas ou três vezes antes de virmos", contou Fernandes, que não pensou duas vezes para responder que prefere encarar trens lotados para ir ao estádio em jogos mais cedo. "É muito melhor ter sofrimento para chegar do que não saber se vai conseguir ir embora", afirmou.

É justamente essa incerteza que fez o advogado Alexandre Setti, de 41 anos, chegar ao estádio já decidido a não ficar lá até o apito final. "Vou sair antes para não correr riscos. Acho essa situação um absurdo. Os trens deveriam funcionar até mais tarde, ou então os jogos aqui deveriam acontecer mais cedo", disse. "Se eu não conseguir embarcar, não vai me restar outra opção a não ser o táxi. O preço vai ser uma facada, mas não tem jeito", completou.

Para o estudante Lucas Oliveira, de 18 anos, até existe uma outra alternativa. "Se não der tempo, eu durmo na estação mesmo", afirmou.

Arena Corinthians: jogos às 22h serão desafiadores para os torcedores que forem ao estádio
FERNANDO DANTAS / Gazeta Press
Arena Corinthians: jogos às 22h serão desafiadores para os torcedores que forem ao estádio

Mais dificuldades

Os problemas não ficaram restritos apenas a quem utilizou as linhas de trem e metrô. Os torcedores que resolveram ir de carro também tiveram problemas e chegaram ao estádio preocupados com o horário. É o caso de José Cássio Oliveira, corretor de 51 anos. 

"Se o jogo fosse às 21h, daria para sair do estádio e pegar o metrô tranquilamente. Mas hoje não. Por isso viemos de carro", contou Oliveira. Acompanhado do filho, ele precisou deixar o carro no estacionamento do Shopping Metrô Itaquera, localizado nas proximidades do estádio, porque não tinha outra opção. Ainda assim, terá de correr depois que o jogo terminar. "Geralmente, eles fecham às 22h. Especialmente hoje, vão ficar até a meia-noite", disse.

O filho, o advogado Vinicius Oliveira, de 25 anos, reforçou o discurso do pai. "Vim em alguns jogos da Copa, e o acesso era bem mais fácil por causa do Expresso da Copa (linhas especiais que transportava os fãs direto para as estações do estádio, sem parar em outros lugares). Agora, o acesso está muito difícil. Além de não alterarem o horário de funcionamento dos trens, não tem onde parar o carro", observou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.