Tamanho do texto

Time paranaense vai receber a visita do Fluminense no domingo com o estádio vazio por causa da punição imposta pelo STJD

Wagner, meia do Fluminense
Getty Images/Alexandre Loureiro
Wagner, meia do Fluminense

O Fluminense iniciou a semana de treinos motivados após a vitória sobre o Santos. Com o resultado, chegou a 19 pontos e subiu para a terceira posição do Campeonato Brasileiro . No domingo, o time encara o Atlético-PR, que está em quarto. O jogo será na Arena da Baixada e não terá torcida dos paranenses, por conta de punição pelo STJD. Para o meia Wagner, o estádio vazio diminuirá a dificuldade do duelo.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Brasileirão

"A torcida faz muita diferença, tanto positiva, quanto negativamente. Eles vão jogar em casa e teriam um ponto forte. Sem isso, será menos difícil, mas ainda sim teremos dificuldade. O Atlético-PR é uma equipe rápida e forte. Vamos ter a partida neutra e tentar fazer prevalecer a nossa qualidade. Se entrar com esse mesmo espírito da última partida e melhorar alguma coisa, já que teremos um campo ainda melhor do que em Volta Redonda, acho que o futebol do Fluminense será ainda melhor e podemos vencer", explicou o meia.

Wagner ressaltou que o Fluminense está crescendo na competição. "Acho que estamos no caminho certo. Existem algumas equipes que estão muito bem, já chegaram no ápice, caso do Cruzeiro. Contra o Criciúma, não entramos tão ligados. Já contra o Santos, ficamos ligados desde o início. Daqui a quatro, cinco partidas, acho que vai ser o ideal", projetou.

O meia fez questão de elogiar o desempenho dos jogadores em campo. Para Wagner, a dedicação dos tricolores para manter o esquema tático proposto pelo técnico Cristóvão Borges vem aparecendo nas atuações da equipe.

"A gente sabe que às vezes você tem de abdicar para jogar em prol do grupo. O Rafael Sobis faz isso há muito tempo aqui no Fluminense, pois abdica de atacar para ajudar. Contra o Santos, nós sabíamos que não poderíamos deixar eles saírem na frente e nos entregamos muito. Saiu todo mundo exausto, mas valeu a pena", avaliou Wagner.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas