Tamanho do texto

Lateral-esquerdo repudiou ato daqueles que chamou como "pequena parte da torcida" na saída do Beira-Rio, no domingo

André Santos em ação contra o Inter
Getty Images
André Santos em ação contra o Inter

O lateral-esquerdo André Santos falou pela primeira vez sobre as agressões que sofreu após a derrota para o Internacional, no domingo, por 4 a 0. O jogador seguiu a mesma linha da nota oficial divulgada pelo clube e repudiou os atos daqueles que chamou como "pequena parte da torcida do Flamengo ".

"Sem dúvida é uma atitude covarde, não só comigo, mas com todos os jogadores e membros da delegação. Estou muito triste por isso, é realmente muito difícil passar por essa situação", confessou André Santos em entrevista ao canal SporTV .

Flamengo repudia agressão "covarde" a André Santos após derrota

O lateral-esquerdo afirmou que não está contente com a situação do clube, mas que vai continuar fazendo o seu trabalho para tirar o Flamengo da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro: "Nós, jogadores, estamos muito tristes com essa situação. Do mesmo jeito que não é fácil para a torcida, não é simples para nós passarmos por isso. Temos família por trás de tudo, e são eles que acabam pagando por essa atitude. Não é dessa forma que será resolvido", afirmou.

André Santos também revelou que está sentindo dores em vários locais do corpo, e só conseguiu proteger a cabeça enquanto era agredido: "A única coisa que pensei foi em proteger meu rosto. Estou com dores abaixo da costela, no pescoço, onde eles me bateram muito. A gente fica muito assustado com isso", confessou.

O lateral-esquerdo, que já atuou pela seleção brasileira, também criticou o acesso da torcida à área próxima aos jogadores no Beira-Rio: "Nessas arenas novas estamos muito próximos ao torcedor. Precisa ter uma segurança melhor para nós", finalizou André Santos.

* Com Gazeta Esportiva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.