Tamanho do texto

Uruguaio desfalcará o Barcelona no início da temporada e perderá a Copa América do Chile, em 2015

Reuters

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) classificou nesta quinta-feira a punição imposta pela Fifa ao uruguaio Luis Suárez como "excessiva e desproporcional" e manifestou seu apoio ao atacante e à AUF (Associação Uruguaia de Futebol).

A Fifa puniu Suárez com nove partidas de suspensão com sua seleção e o proibiu de realizar qualquer atividade relacionada ao futebol durante quatro meses depois de morder um zagueiro italiano durante um jogo da Copa do Mundo.

Leia mais: A história de amor que fez de Suárez um dos maiores goleadores da atualidade

A Fifa ainda aplicou uma multa de 111 mil dólares ao jogador, que depois do incidente trocou o Liverpool para o Barcelona. Suárez e a AUF apelaram da sanção, mas a Fifa rechaçou o recurso, confirmando sua decisão.

A Conmebol declarou em um comunicado que, embora respeite as decisões dos órgãos jurisdicionais da Fifa, "neste caso concreto, não pode compartilhar as sanções nelas acordadas por considerá-las manifestamente “excessivas e desproporcionais".

"A partir deste momento, a Conmebol deseja manifestar seu total apoio e colaboração ao jogador e à Associação Uruguaia de Futebol para o caso de decidirem esgotar as vias de recurso esportivo existentes", acrescentou a nota.

Depois de tomar conhecimento da recusa da apelação, a AUF disse que apelará ao Tribunal Esportivo de Arbitragem.

A punição fará com que Suárez, que mordeu Giorgio Chiellini durante o confronto da fase de grupos do Mundial, perca a Copa América do próximo ano no Chile.

O organismo sul-americano, que é dirigido pelo uruguaio Eugenio Figueredo, afirmou ainda que fará propostas concretas para melhorar a atuação dos órgãos disciplinares da Fifa e evitar situações como a que envolveu Suárez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas