Tamanho do texto

Atacante brasileiro naturalizado croata, que estava na Ucrânia, assinou contrato com o clube carioca até dezembro de 2015

Logo depois de assinar contrato válido até dezembro de 2015, o atacante brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva foi apresentado como novo reforço do Flamengo nesta quinta-feira, na sede do clube carioca, na Gávea. Em sua primeira entrevista coletiva, o jogador fez questão de dizer que não resolverá sozinho os problemas do time dentro do campo.

Eduardo da Silva veste a camisa do Flamengo na apresentação
Gilvan de Souza / Flamengo
Eduardo da Silva veste a camisa do Flamengo na apresentação


"Não posso me considerar um jogador que resolve porque não é só um que joga. São onze jogadores, mais três reservas e 25 ou 30 do grupo. A união é muito importante. O Flamengo é um clube de grande expressão, qualquer jogador pode decidir a partida", afirmou Eduardo.

Ciente da responsabilidade de vestir a camisa do clube de maior torcida do Brasil, o jogador acredita que o momento ruim é passageiro. Atualmente, o Flamengo ocupa a lanterna do Campeonato Brasileiro, com sete pontos.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

"Todos sabem o que é o Flamengo, tem pressão mesmo. Tem momentos bons e outros ruins. Acredito que o Flamengo superará essa fase negativa. Cheguei num momento delicado e estou aqui para ajudar. Vou dar o máximo em campo com esse excelente grupo, que só vai crescer daqui para a frente", disse.

O atacante de 31 anos, que já defendeu Dínamo de Zagreb-CRO, Arsenal-ING e Shakhtar Donetsk-UCR (seu último clube, onde estava desde 2010), está disposto a jogar em qualquer posição do setor ofensivo.

"A maioria dos torcedores brasileiros nunca me viu jogar. No (esquema) 4-4-2, eu jogava como atacante. Nos últimos anos eu joguei mais pelo lado direito ou esquerdo. Joguei até atrás do centroavante no 4-2-3-1", declarou.

Condições climáticas serão o principal entrave para a adaptação

Não serão as características do futebol brasileiro o principal obstáculo a ser superado por Eduardo da Silva. Para o atacante, as condições climáticas do Brasil serão o maior entrave para a sua adaptação.

"Na Europa, é frio em todo lugar e calor em todo lugar. Por exemplo, o Flamengo joga no Sul, onde vai estar fresco, e amanhã vai para o Nordeste, onde está muito calor", disse.

Sem atuar desde o dia 18 de junho - quando entrou no segundo tempo da goleada por 4 a 0 da Croácia sobre Camarões, pela segunda rodada do Grupo A -, Eduardo da Silva ainda não sabe quando poderá estrear pelo Rubro-Negro.

"Estou sem fazer atividade. No calendário europeu, essa época ainda é de férias. Talvez (possa estrear) em sete dias, talvez em 20 - vai depender dos meus treinos aqui", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.