Tamanho do texto

Equipe paranaense pode terminar a rodada na lanterna do Campeonato Brasileiro se o Flamengo não for derrotado

Pablo, do Figueirense, e Reginaldo, do Coritiba, durante o jogo desta quarta-feira
Gazeta Press
Pablo, do Figueirense, e Reginaldo, do Coritiba, durante o jogo desta quarta-feira

O jogo dos desesperados na volta do Campeonato Brasileiro após a disputa da Copa do Mundo aumentou ainda mais o pânico do Coritiba . O time perdeu para o Figueirense por 2 a 0, no Couto Pereira, e pode terminar a rodada na lanterna, com sete pontos, os mesmos da equipe catarinense - que deixou a última colocação na classificação.

Com uma nova iluminação, muito mais eficiente do que a anterior, e gramado com dimensões reduzidas padrão Fifa, o estádio abriu suas portas para o retorno da Séria A. E logo no primeiro minuto, a rede quase foi balançada por Dener, que tentou o cruzamento e quase surpreendeu Tiago Volpi, que mostrou muito reflexo para salvar. A resposta, no entanto, foi fatal. Aos cinco minutos, após cobrança de escanteio, Thiago Heleno se abaixou e desviou para as redes, abrindo o placar.

O jogo era aberto e os catarinenses quase ampliaram a vantagem aos 10 minutos, em cobrança de falta de Kléber que Vanderlei foi buscar no ângulo. O troco veio com Keirrison, aos 15 minutos, mas o atacante demorou a definir a jogada e foi desarmado dentro da área. Aos 19 minutos foi a vez de Alex receber e finalizar, à direita da meta, com perigo. O Coritiba assimilou bem o gol tomado e tentava buscar o empate.

Veja como está a classificação do Campeonato Brasileiro

O ritmo caiu um pouco, com o Figueirense fechado, esperando para encaixar algum contra-ataque. Após troca de passes, aos 33 minutos, cruzamento de Élber na medida para Alex, que não conseguiu completar para as redes. Aos 39 minutos, Alex cobrou falta e Tiago Volpi saltou para desviar e ceder escanteio. O time paranaense apertava, mas não conseguia colocar a bola para dentro.

O Coritiba retornou para o segundo tempo com Carlinhos no lugar de Dener. Com a bola rolando, a primeira chance criada veio dos pés de Robinho, aos quatro minutos, com um chute cruzado pela linha de fundo. Aos sete minutos, Leandro Almeida desviou na área e Tiago defendeu no reflexo. A rede até balançou aos 10 minutos, mas o árbitro, atendendo ao aviso do árbitro auxiliar, marcou falta de Baraka no lance.

O resultado era péssimo para os donos da casa, mas a bola insistia em não entrar. Aos 13 minutos, Alex chutou cruzado e ninguém conseguiu desviar no caminho para marcar. Com câimbras, Keirrison deixou o jogo para a entrada de Júlio César. O Figueirense cozinhava o jogo e o cronômetro jogava a favor. Aos 21 minutos, Alex deixou Júlio César na cara do gol e o atacante conseguiu chutar para fora. E a velha máxima do "quem não faz toma" se fez presente. Aos 23 minutos, Gil perdeu a bola e Everaldo, livre de marcação, tocou na saída de Vanderlei para marcar o segundo. Celso Roth apostou então na entrada do argentino Martinuccio. Porém, os catarinenses se fecharam de vez. Aos 35 minutos, Alex cobrou falta e Júlio César testou por cima da meta. Martinuccio teve a chance de fazer aos 39 minutos, mas parou em grande defesa de Tiago Volpi, um dos nomes do jogo.

Na próxima rodada, o Coritiba, em crise, vai a Volta Redonda, onde no sábado encara o Botafogo, no Estádio Raulino de Oliveira. Já o Figueirense terá pela frente o Grêmio, no mesmo dia, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.