Tamanho do texto

Disposto a mostrar à insatisfeita torcida que ela pode sonhar com dias melhores, campeão carioca encara o time do Paraná

Após nove rodadas em que seria melhor esquecer o próprio desempenho e vindo de uma derrota de 3 a 0 para o Cruzeiro , quando não viu a cor da bola, o Flamengo tentou usar o recesso do Campeonato Brasileiro para melhorar. Afinal de contas, o time aparece na penúltima posição com apenas sete pontos, à frente apenas do lanterna Figueirense.

Disposto a mostrar a sua insatisfeita torcida que ela pode sonhar com dias melhores, o campeão carioca enfrenta o Atlético-PR nesta quarta-feira, às 22h(de Brasília), no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ), pela décima rodada. Em 12º lugar, com 13 pontos, o Furacão deseja "apenas" repetir 2013, quando ficou entre os primeiros colocados, garantindo uma vaga na Copa Libertadores.

Ney Franco, técnico do Flamengo, usou o período para treinar bastante a equipe. Os pretendidos reforços, em sua maioria, não chegaram e ele terá que trabalhar com o elenco que tinha em mãos, só que bem mais treinado. Essa é a esperança dele para realmente ter dias melhores. Porém, ele evita fazer projeções maiores e garante foco apenas no Atlético.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

"Nós não podemos ficar fazendo projeções, pois temos que pensar em um jogo de cada vez. Nosso pensamento agora é o Atlético-PR, depois o Internacional e assim por diante. Claro que sabemos que precisamos somar o máximo de pontos possível, mas isso começa pelo jogo desta quarta-feira", disse Ney.

Os jogadores concordam com o comandante, mas salientam a necessidade de ganhar em casa. "Na situação em que estamos, não podemos perder pontos quando tivermos o mando de campo. Desperdiçamos a pontuação em alguns jogos em nossa casa, como na derrota para o São Paulo e no empate contra o Bahia e isso acabou custando muito caro. Estamos bem abaixo de onde deveríamos estar na tabela de classificação e precisamos reagir rapidamente", afirmou o lateral esquerdo André Santos.

Mas vencer o Atlético-PR, na visão de Ney Franco, não será tarefa tranquila. Portanto, é preciso ficar atento aos pontos fortes dos paranaenses. " Vamos enfrentar um time que é um verdadeiro perigo nos contra-ataques, rápidos demais e que consegue se recompor com muita facilidade. Isso representa uma dificuldade ainda maior quando se joga em casa e tem a necessidade de vencer, que é o nosso caso. Vamos nos impor desde os primeiros minutos, buscando a vitória, mas com responsabilidade", disse Ney.

Em termos de escalação, causa surpresa a escolha nos últimos treinos do goleiro Felipe, que passou a maior parte do recesso treinando entre os reservas e que já havia perdido a posição antes de o Brasileirão ser interrompido. Porém, ele pode jogar e deixar Paulo Victor esquentando o banco de reservas. O esquema com três zagueiros caiu de vez no gosto de Ney Franco, que também optou por deixar o atacante Alecsandro no ataque, mesmo com Hernanes liberado da série de lesões que o tirou dos gramados por vários jogos no primeiro semestre.

Quem fica de fora é o volante paraguaio Víctor Cáceres, que se recupera de uma fratura na mão esquerda. Melhor para o jovem Recife, que ganha uma oportunidade no time principal. O volante argentino Héctor Canteros, contratado junto ao Vélez Sarsfield, vai começar o confronto no banco de reservas, caso tenha sua documentação regularizada até o momento da partida.

O Furacão, ainda com o comando do auxiliar Leandro Ávila, deixou uma impressão um pouco melhor sobre seu futebol nas rodadas que antecederam a paralisação para disputa da Copa do Mundo. E, conseguir retomar esse embalo após a intertemporada, agora sob nova direção, será o principal desafio em campo. O elenco teve poucas mudanças, mas o estilo de jogo promete ser diferente.

Temas como compactação do meio-campo, maior posse de bola, ataque ajudando a marcar, viram lugar comum nas conversas após o fiasco da Seleção Brasileira no Mundial, mas, para técnico Doriva, o assunto é antigo, foi parte de sua filosofia de jogo à frente do Ituano e é aquilo que pretende implantar agora no Atlético, embora os elencos tenham, é bem verdade, características diferentes, a começar pela juventude dos jogadores que tem em mãos.

Durante os jogos-treino na intertemporada, um time ideal, sem as presenças de Natanael e Deivid, que cumprem suspensão, e João Paulo, lesionado, começou a se formar. Nele, atletas como Lucas Olaza, Derley e Bady ganharam espaço. No ataque, a dupla Douglas Coutinho e Ederson foi mantida, mas Cléo entrou na briga como uma opção de experiência para o setor.

Escolhido para a lateral, Sueliton garante que a equipe já absorveu o novo sistema de jogo, contando com a ajuda do técnico atual e do antecessor, em parceria. "Nosso time está pronto. O professor Doriva tem implantado uma filosofia de trabalho e temos entendido muito bem. Acredito que o trabalho dele, com a cooperação do Leandro e dos demais membros da comissão técnica, vai surtir efeito nesta sequência do Campeonato Brasileiro", projetou.

O Furacão defenderá uma invencibilidade de sete jogos contra o Flamengo pela competição, com quatro vitórias e três empates. Além disso, nos últimos três duelos, o time atleticano conquistou três vitórias. A última vitória carioca aconteceu em maio de 2009, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ)
Data: 16 de julho de 2014 (Quarta-feira)
Horário: 22h(de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique de Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Nadine Schramm Camara Bastos (SC) e Eduardo Cordeiro Guimarães (SC)

FLAMENGO: Felipe (Paulo Victor), Chicão, Wallace e Samir; Leonardo Moura, Recife, Elano, Everton e André Santos; Paulinho e Alecsandro
Técnico: Ney Franco

ATLÉTICO-PR: Weverton, Sueliton, Cleberson, Léo Pereira e Lucas Olaza; Derley, Otávio, Bady e Marcos Guilherme; Douglas Coutinho e Ederson
Técnico: Doriva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas