Tamanho do texto

Atacante que será apresentado nesta terça-feira convivia com brasileiros na antiga equipe e conheceu até músicas de funk

Namorador, fã de tatuagem e comida japonesa e sinônimo de raça dentro de campo. Assim pode ser resumido Pablo Mouche, reforço que será apresentado nesta terça-feira, na Academia de Futebol. Indicação de Ricardo Gareca, o novo atacante do Palmeiras já se sente em casa no ano clube e o iG Esporte explica os motivos da fácil adaptação do argentino.

Leia também:  Mouche agradece Gareca e recepção no Palmeiras: "Parece que estou aqui há anos"

Pablo Mouche será apresentado pelo Palmeiras nesta terça-feira
Fábio Menotti / Palmeiras
Pablo Mouche será apresentado pelo Palmeiras nesta terça-feira

Aos 26 anos, Mouche defendeu por duas temporadas o Kayserispor, da Turquia, e por lá fez amizade com três brasileiros: o ex-corintiano Bobô, Mert Nobre, ex-Cruzeiro, e Cleyton Silva. A fácil comunicação entre eles fez com que o argentino aprendesse um pouquinho sobre o Brasil.

O trio, sempre que permitido, fazia questão de levar algumas músicas tocadas no país para os vestiários da equipe turca. E foi desta maneira que Mouche conheceu as canções dos funkeiros MC da Leste, morto no ano passado, e MC Guimé. Mas como um bom argentino, Mouche sempre preferiu mesmo a cúmbia.

De sorriso fácil e tranquilo, Pablo Mouche gostava de passar o tempo na casa dos amigos. Com poucas opções para se divertir na Turquia, nas horas vagas, o atacante sempre dava um jeitinho de não ficar sozinho e de preparar um churrasco com os companheiros. E o paraguaio Cristian Riveros, hoje no Grêmio, era um deles.

"A gente se virava para fazer churrasco. Não tinha a carne apropriada tão pouco espetos. Comprávamos pedaços pequenos e fazíamos na chapa. Depois eu consegui com um serralheiro que ele fizesse uma churrasqueira com grelha pra gente (risos), contou Riveros à reportagem.

Mouche também é fã de comida japonesa. É fácil encontrar na rede social dele fotos dos típicos pratos asiático, como sushi e sashimi, acompanhados por diversos elogios.

Galã em Buenos Aires

Nascido em San Martín, Pablo Mouche foi revelado pelo Estudiantes (de Buenos Aires) e destacou-se pelo Boca Juniors ao ser contratado em 2005. Mas o talento não agradava somente dentro de campo. Fora dele, o atleta fazia sucesso com as mulheres.

O novo palmeirense não nega o rótulo de conquistador que ganhou na Argentina e até dá risada da fama. Mas reconhece: "Tive muitas relações anteriores com mulheres conhecidas, mas agora estou noivo de uma mulher 'normal', do interior da Argentina", explicou ele ao iG .

Mouche namorava a modelo uruguaia Vitto Saravia, mas o relacionamento acabou e ele engatou o namoro com atual noiva Valentina Frias, de 21 anos e estudante de direito. Eles se conheceram durante o verão em Mar Del Plata no início deste ano.

'Ele se entrega dentro de campo'

Mouche é admirado pelos torcedores do Boca Juniors. Apesar de não ser nenhum "atacante excepcional", ele é reconhecido por se entregar dentro de campo durante as partidas.

"É um atacante muito bom. Quando ele entra em campo dá para sentir a vontade de ganhar nos olhos dele. Ele deixa toda a raça dele no gramado", disse o argentino Fritz, de 48 anos, e torcedor do Boca.

Pablo Mouche tem agradado o técnico Ricardo Gareca e pode até começar a partida contra o Santos, quinta-feira, entre os titulares. Falta pouco para a estreia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas