Tamanho do texto

Atacante ainda comparou "pane" da seleção brasileira com goleada sofrida pelo Fluminense na 6ª rodada do Brasileirão

Osvaldo, atacante do São Paulo
ALE CABRAL/Gazeta Press
Osvaldo, atacante do São Paulo

Após o São Paulo recusar a segunda proposta do clube árabe Al-Ahli por Osvaldo, o atacante garantiu que permanecerá no time até o fim do contrato. A equipe só cederá o atleta por uma quantia de R$ 12 milhões, isso porque, segundo o técnico Muricy Ramalho, o atleta é de extrema importância para a sequência do Campeonato Brasileiro.

"Acho que no momento certo o São Paulo vai acertar alguma negociação. Chegou para mim essa proposta que era muito boa para, mas o clube acabou recusando, pois os valores não agradaram a diretoria. Eu tenho um contrato aqui e estou muito tranquilo quanto a isso", declarou o atacante em entrevista coletiva.

Osvaldo não se preocupa com o "tempo perdido no Brasil". O atleta confia em suas atuações e acredita que quando chegar a hora certa irá para um clube do exterior. "Tenho certeza que no momento certo serei premiado. Com as propostas chegando eu vejo que meu trabalho está sendo reconhecido", comentou o jogador.

Derrota da seleção repercute no São Paulo

Apesar do "clima de Brasileirão" já estar no ar, a eliminação da seleção brasileira no Mundial também repercute no time Morumbi e Osvaldo comparou a pane do time comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari, na derrota por 7 a 1 para a Alemanha, com a goleada por 5 a 2 sofrida pelo São Paulo no confronto contra o Fluminense, na sexta rodada do torneio nacional.

"Acho que igual a todo povo brasileiro, ninguém esperava. A Alemanha acabou fazendo um gol e deslanchou. Contra o Fluminense vivemos um pouco disso, sofremos três gols em 10 minutos. Não tem explicação, é uma pane geral que dá. A seleção brasileira acabou sendo surpreendida, assim como todos nós", declarou o são-paulino.

Neste momento, o jogador acredita que o Brasil precisa do apoio dos torcedores para incentivar o trabalho da equipe. "Teremos que nos unir ainda mais agora. A seleção tem que trabalhar para voltar mais forte na próxima Copa do Mundo, na Rússia", concluiu o atleta, que já pensa e uma possível vaga no time canarinho nas próximas competições.

* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.