Tamanho do texto

Clube mineiro encerra excursão pelos Estados Unidos com cinco jogos e 100% de aproveitamento em duelos contra equipes norte-americanas e mexicanas

Ricardo Goulart comemora golaço sobre o Chivas, do México
Andreas Leighton/Light Press/Site Oficial do Cruzeiro
Ricardo Goulart comemora golaço sobre o Chivas, do México

O Cruzeiro encerrou a intertemporada nos Estados Unidos com vitória em cima dos mexicanos do Chivas por 2 a 0, em jogo realizado na madrugada de domingo para segunda, no Sun Bowl Stadium, em El Paso, nos EUA. O time correu poucos riscos defensivos, dominando o jogo na maior parte do tempo, e o duelo valeu principalmente pelo gol de Ricardo Goulart, uma pintura do campo de defesa.

Com seu contrato chegando ao fim, e sem saber se ficára no clube no restante da temporada, o meia-atacante Willian também deixou sua marca nas redes mexicanas. Na excursão na América do Norte, o Cruzeiro fez cinco partidas com 100% de aproveitamento: foram duas vitórias sobre o Miami Dade, por 5 a 1 e 2 a 1, uma sobre o América-MEX, por 5 a 3, e outra sobre Tigres, por 2 a 0, além do triunfo deste domingo.

As vitórias nos quatro primeiros amistosos em solo estadunidense deu aos mineiros confiança para iniciar o duelo contra os mexicanos do Chivas com mais volume ofensivo, o proporcionou um amplo domínio das ações da partida. O grande problema é que o time não conseguiu transformar esta vantagem em chances concretas de gol.

A primeira oportunidade de balançar as redes só apareceu aos 19 minutos em chute cruzado de Willian, que errou o alvo. Após está jogada, os celestes passaram a produzir um pouco mais e foram premiados com a abertura do placar. Aos 28, Egídio cobrou falta da esquerda e Willian apareceu bem para desviar com o pé direito sem chances para o goleiro Rodriguez.

Sem fazer muito esforço, o Cruzeiro seguiu com as rédeas do confronto no Sun Bowl Stadium. Já os mexicanos optaram por um jogo burocrático, sem ameaçar muito. No segundo tempo, o panorama do jogo mudou muito pouco.

Aos 37, quando o Chivas tentava exercer uma pressão, o Cruzeiro chegou segundo gol em jogada de cinema, digna de placa. Os mexicanos erraram o passe, e Ricardo Goulart de antes do meio-campo percebeu o goleiro adiantado e mandou por cobertura, em uma verdadeira pintura para encerrar a passagem celeste nos Estados Unidos.

* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.